Banner São Bento

Técnico da ” Geração de Prata” Bebeto de Freitas morre em Belo Horizonte

compartilhe:

Ex-treinador de 68 anos atuava como dirigente no Atlético-MG

Bebeto de Freitas Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

Morreu nesta terça-feira Paulo Roberto de Freitas, o Bebeto de Freitas. Treinador da ‘geração de prata’ do vôlei, ele tinha 68 anos e  sofreu uma parada cardíaca, pouco depois de participar de um evento na Cidade do Galo, em Belo Horizonte. O diretor de administração e controle do Atlético-MG foi atendido prontamente, mas não resistiu. O clube decretou luto oficial de três dias.

O Estado de S.Paulo

13 Março 2018 | 16h05

Morreu nesta terça-feira Paulo Roberto de Freitas, o Bebeto de Freitas. Treinador da ‘geração de prata’ do vôlei, ele tinha 68 anos e  sofreu uma parada cardíaca, pouco depois de participar de um evento na Cidade do Galo, em Belo Horizonte. O diretor de administração e controle do Atlético-MG foi atendido prontamente, mas não resistiu. O clube decretou luto oficial de três dias.

 Bebeto foi jogador de vôlei do Botafogo, onde conquistou 11 títulos estaduais consecutivos. Ganhou destaque como técnico da seleção brasileira masculina de vôlei, vice-campeã mundial de 1982 e medalha de prata em 1984, quando liderou um time repleto de craques como William, Xandó, Montanaro e Renan, que implantaram novidades como o saque “viagem ao fundo do mar”, utilizado atualmente por todos os praticantes de vôlei.
 Ele também foi o treinador do time da Atlântica Boavista nos anos 80, que rivalizou com a Pirelli, equipes que se tornaram referência no mundo do vôlei.

Nos anos 90, descontente com a direção da Confederação Brasileira de Vôlei, foi para o exterior, onde treinou a equipe do Maxicono Parma, de 1990 a 1995, conquistando cinco títulos nacionais. Foi convidado a dirigir a seleção italiana, sagrando-se campeão da Liga Mundial, em 1997 e Mundial, em 1998.

Bebeto estava em sua segunda passagem como dirigente pelo Atlético-MG. A primeira fora de 1999 a 2001, como manager.

Primo do craque Heleno de Freitas e sobrinho do lendário jornalista João Saldanha, Bebeto foi presidente do Botafogo, seu time de coração, de 2003 a 2005, após passar um período de um ano como diretor de futebol. Nesse período levou o time de volta à elite do Campeonato Brasileiro. Reeleito até 2008 conseguiu para o alvinegro carioca concessão do Engenhão, em 2007.

Bebeto também foi um dos responsáveis pela criação da Timemania, uma loteria que tinha como objetivo saldar parte das dívidas dos clubes.

VIA MAX

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS