Autoridades policiais na região da fronteira do Brasil com o Paraguai tentam definir a origem de comunicado atribuído ao PCC (Primeiro Comando da Capital) sobre o assassinato do jornalista Léo Veras. Na mensagem que começou a circular em grupos de WhatsApp no sábado (15), a facção condena a execução e a classifica como covardia extrema.

A facção é apontada pelos investigadores do caso, polícia e Ministério Público do Paraguai, como suspeita na execução ocorrida na noite de quarta-feira (12), em Pedro Juan Caballero, vizinha de Ponta Porã.

O suposto comunicado da facção é datado de 16 de fevereiro, ou seja, hoje, mas no sábado foi divulgado pela rádio paraguaia Futura 97,5 FM. A publicação também apareceu como reprodução no jornal ABC Color ( principal do país), na noite de ontem.

Foto: Reprodução