O Progresso

O Diário MS publica nesta edição uma notícia muito triste: hoje, dia 27 de setembro de 2019, está circulando a última edição de ‘O Progresso’, o mais antigo jornal de Mato Grosso do Sul. Após um período de muito pensar, a empresária Adiles do Amaral Torres tomou esta que, provavelmente, deve ter sido uma das mais difíceis decisões de toda sua vida.

Aos 86 anos de idade, grande parte deles dedicada a bem informar os milhares de leitores que, ao longo de quase 13.600 edições, ficaram sabendo sobre o que aconteceu em Dourados, em Mato Grosso (depois Mato Grosso do Sul), no Brasil e no mundo.

Foram horas e horas de empenho e dedicação, à frente da equipe de funcionários, se preocupando em fazer sempre o melhor. Com 68 anos de existência, o jornal teve a colaboração de um incontável número de colaboradores, com cada qual desempenhando sua tarefa para que, na madrugada seguinte o exemplar do jornal chegasse a milhares de leitores, fosse em suas casas ou em seus locais de trabalho.

Das antigas máquinas de escrever, do cheiro da tinta, do som marcante da máquina impressora ou da revelação do filme fotográfico, que tantas notícias levaram para o Estado, ficam agora as lembranças de cada pessoa que durante quase sete décadas frequentou as salas e corredores da sede do jornal.

A história, portanto, está registrada, dia a dia, nas páginas do jornal. E nada irá mudar o que ali está escrito. Nascimentos e mortes, alegria e tristeza, feio e bonito, em preto/branco ou colorido, não importa. Está tudo lá, em cada página, para ser vista e revista sempre que possível.

Para nós, aqui do Diário MS, fica o sentimento de alguém que perde um ente querido. Nos últimos anos, o relacionamento entre os dois jornais foi de fraternidade e colaboração mútua. De nossa parte, fica o agradecimento sincero e o reconhecimento da importância do jornal impresso para a democracia e para a sociedade como um todo.

Por mais estranho que possa parecer, a concorrência entre os dois jornais existiu sim, mas apenas no campo profissional, na hora da produção da notícia, na busca pelo ‘furo’ jornalístico. Fora isso, predominou o companheirismo, o bom relacionamento e o ‘socorro’ sempre que necessário.

Por isso este texto começou com a informação que o Diário MS publica hoje uma notícia muito triste. Sem as notícias diárias de ‘O Progresso’, Dourados passa a viver com uma lacuna de informação, sem um endereço de referência.

Desejamos, a partir de agora, que as pessoas que fizeram ‘O Progresso’ durante todos esses anos encontrem (e vençam) os novos desafios que o destino lhes preparou.

Para dona Adiles em particular, o nosso mais profundo reconhecimento por tudo o que fez enquanto comandou o seu jornal do coração. E desejamos que a vida ainda lhe proporcione momentos de prazer e felicidade sempre.