• Início
  • Notícias
  • Kelly Key fala de lesões da psoríase: “Tomaram mais de 50% da minha pele”

Kelly Key fala de lesões da psoríase: “Tomaram mais de 50% da minha pele”

Kelly Key recebeu, há cerca de uma semana, a vacina contra a covid-19, já que faz parte do grupo de prioritários em possuir uma doença, na pele, chamada psoríase. Em entrevista para o ELA, editoria do jornal O Globo, a cantora falou sobre a luta contra a doença.
 
“Durante minha temporada em Portugal, apareceram as primeiras lesões na pele, que ficaram mais intensas depois que tive Covid-19, em dezembro do ano passado. Fiz todos os exames, inclusive uma biópsia. Com o resultado em mãos, começamos a tratar a psoríase, uma doença autoimune. Mas sem muito sucesso. Há cinco meses, voltei para o Brasil com a família e procurei minha dermatologista. Manipulamos um tratamento, mas que não deu tanto resultado após um mês. Então, minha médica entrou com um imunossupressor. As lesões tomaram mais de 50% da minha pele: pernas, costas, cotovelos… A crise foi realmente séria. O remédio me salvou e hoje as lesões estão cicatrizadas. O que tenho são machas esbranquiçadas, que irão desaparecer logo logo. Mas ainda preciso tomar o imunossupressor por um período. Aliás, o que meu deu direito à vacinação prévia não foi a doença, mas sim a doença.”, começou Kelly.
 
Sobre a reação dos fãs ao saberem de sua doença, Key disse: “No começo, confesso que lidar com a doença foi muito chato. As pessoas têm pouca informação sobre a psoríase. Inclusive, é por isso que resolvi falar sobre ela nas redes sociais. Não sofri preconceito, mas já ouvi relatos de quem passou por situações ruins por causa disso. É muito desagradável termos uma cabeça descamando, que arde e dói, porque essa doença machuca”.
 
“É complicado abrir uma questão extremamente íntima e que afeta a autoestima de alguma forma. Mas desde que dividi minha condição com as pessoas, não recebi um comentário maldoso pelas redes sociais sequer. Pelo contrário. Muita gente se viu representada em mim. Evidentemente, que não mostrei 100% da fase mais crítica da doença. Até tenho essas imagens, mas quero compartilhar quando estiver recuperada. É mais interessante para deixar claro que somos capazes de dar a volta por cima e controlar essa situação. Fui muito abraçada. Teve seguidor indicando tratamento”, disse a famosa, em parte da entrevista.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados