Dermatite atópica: Causa, sintomas e tratamento

Terra.com
Você já ouviu falar em dermatite atópica? É uma alergia causada pela inflamação da pele, que provoca diferentes lesões, como placas ou pequenos caroços avermelhados, que costumam coçar bastante e na maioria dos casos, surgem em bebês ou crianças até 5 anos, mas também pode aparecer em qualquer idade.
 
 
Segundo a Dra. Isabela Falad Leiva, dermatologista da clínica Landecker, a dermatite atópica ocorre devido a uma disfunção dos genes que codifica as proteínas epidérmicas e imunológicas. Quando há essa alteração junto à uma predisposição genética é provável o surgimento dessa inflamação na pele. "Ela está associada à históricos familiares dessa doença e de outras alergias, como renite, sinusite ou bronquite", explica.
 
A partir disso, os fatores ambientais, psicológicos e emocionais colaboram para a piora do quadro existente,  como o pólen, ácaro, pelo de animal, suor, contato com lã, nylon, tecidos ásperos, cheiro de cigarro e o estresse que tem influência para o aumento desta doença crônica. O sintoma mais comum é a coceira, que causa inflamações, provoca lesões e ferimentos com chance de evoluir para uma infecção secundária, além do alto risco em comprometer a qualidade de vida do paciente.
 
As partes do corpo mais afetadas são as dobras dos braços, pescoço, joelhos, bochechas, mãos e pés. Para o tratamento é necessário um conjunto de combinações com o objetivo de controlar a doença, uma vez que ela não tem cura. "O banho deve ser rápido, morno e sem bucha. É necessário também utilizar um sabonete com o pH adequado para não agredir a pele. Logo após, é fundamental aplicar um hidratante mais resistente a sensibilidade. Além disso, tem que evitar alguns alimentos como o leite e derivados, açúcar e nozes", ressalta a Dra. Isabela Falad Leiva.  
 
A dermatologista alerta ainda que a dermatite atópica não é contagiosa e costuma dar sinais na infância, antes dos 5 anos de idade, portanto, assim que for diagnosticado o ideal é iniciar o tratamento para não comprometer a fase adulta.   
 
Consultoria: Dra. Isabela Falad Leiva, dermatologista da clínica Landecker

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados