• Início
  • Notícias
  • Especialista dá dicas para economizar nas compras de Páscoa

Especialista dá dicas para economizar nas compras de Páscoa

Custos de produção mais caros e ajuste na tributação deixam ovos de chocolate, bacalhau e vinhos mais caros; saiba como economizar
 
A crise econômica no Brasil, com dólar e inflação em alta, deixou as compras de Páscoa mais salgadas para o bolso dos consumidores. Produtos típicos desta época, como ovos de chocolate, bacalhau e vinhos, estão com valores mais caros no comparativo com 2020, o que reforça a necessidade de buscar alternativas para economizar. Com a valorização de 20% do dólar nos últimos 12 meses, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que os ovos de chocolate devem ficar 7% mais caros neste ano, enquanto o preço dos peixes industrializados aumentou 16,35% e a tributação dos vinhos importados ficou mais cara.  
 
De acordo com Virgilio Costa, Gerente de Marketing ValeCard, empresa especializada em meios de pagamentos e soluções para gestão de frota, o ideal é dedicar tempo para pesquisar preços nos estabelecimentos antes de encher o carrinho. Para isso, é possível utilizar as listas de ofertas disponíveis nos sites das redes ou conferir valores pelos canais de atendimento digitais e redes sociais, tudo sem sair de casa.  
 
“Quem faz compras no primeiro supermercado que entra acaba perdendo a oportunidade de conferir promoções e vantagens oferecidas por outras redes. É importante também usar a criatividade e optar por produtos similares que possam ser substituídos sem atrapalhar a tradição da data”, recomenda.  
 
Para quem ainda não finalizou as compras para a Páscoa deste ano, o especialista reuniu dicas que podem fazer a diferença no orçamento. 
 
Prefira produzir em casa 
Os ovos de Páscoa industrializados são práticos, mas a fabricação artesanal dos chocolates dá a possibilidade de economia e ainda envolver a criançada na produção. A receita mais básica do ovo exige apenas três ingredientes: cacau, manteiga de cacau e açúcar. Se comprados em lojas especializadas, os itens podem render até 10 ovos e gerar economia de até 80% no comparativo com os chocolates já prontos.  
 
Faça as compras sozinho 
Além das recomendações sanitárias durante a pandemia orientarem que as compras em supermercados devem ser feitas por apenas um membro da família, evitar a companhia das crianças permite que o comprador priorize os valores mais atrativos e não seja levado aos apelos consumistas dos pequenos. Com tempo disponível, calcule a variação de preços entre tamanhos para garantir que está comprando o produto com melhor custo-benefício. 
 
Tributação deixa produtos importados ‘mais salgados’ 
Se os preços estão mais caros em itens nacionais, a alta do dólar eleva ainda mais os preços de produtos importados.  Dê preferência para produtos fabricados no Brasil.
 
Use os cartões de benefício 
Cartões de benefício oferecidos pelas empresas, como os vale-alimentação, refeição ou convênio de adiantamento salarial, são opções para custear as compras extras do feriado. Geralmente, eles podem ser usados em estabelecimentos como supermercados, padarias e lojas especializadas em produtos de festas, que apresentam preços mais vantajosos. Além de não onerar os gastos do cartão de crédito convencional, é uma forma de equilibrar as contas sem prejudicar o orçamento familiar.  
 
Produtos de promoções não permitem troca 
Apesar das bancas de promoção oferecerem boas oportunidades de economia na compra de ovos de chocolate, os produtos ali disponíveis  são aqueles que apresentam danificações, geralmente com quebraduras causadas pelo manuseio dos itens. De acordo com o Procon, caso os clientes sejam avisados de que o desconto se deve por conta dos defeitos, não há obrigatoriedade em trocar o produto caso o consumidor se arrependa depois de efetuar a compra.  
 
O consumidor tem o direito à troca dos produtos quando o prazo de validade estiver vencido; quando as embalagens apresentarem danos ou problemas; e, no caso dos chocolates, se estiverem derretidos. 

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados