• Início
  • Notícias
  • Susana Vieira fala da pandemia, cita saudade da TV e se declara para Marcos Caruso

Susana Vieira fala da pandemia, cita saudade da TV e se declara para Marcos Caruso

Susana Vieira bateu um papo recente com a atriz Thaís de Campos através do Instagram. Durante a conversa, a veterana falou sobre a carreira e contou detalhes de como tem passado a pandemia do novo coronavírus, que começou em março do ano passado.
 
“Dei uma engordada nesta pandemia porque a gente não está acostumado a se alimentar tanto. E a gente em casa se alimenta com mais prazer do que na rua, né? Claro, a gente tem o hábito de comer em casa, mas a gente, brasileiro, adora uma comida caseira. E eu tomo lanche de tarde, coisa que não faço (…) E não gosto de vegetais, como a maioria das pessoas. Eu separo a verdura e como depois, deixo para comer como se fosse remédio. E como feijão. Feijão tem várias coisas importantes”, comentou a global.
 
Na transmissão, o ator Marcos Caruso entrou na sala virtual e Susana aproveitou para fazer uma declaração ao artista: “Marcos Caruso, eu amo você. Responde para mim! Marcos Caruso, eu amo, já quis até casar com você e você fugiu. Você achou que eu era velha demais para você. Ah, pelo amor de Deus, né, Marcos! Olha bem para mim para ver se estou velha (risos)”.
 
A musa foi elogiada por Thaís de Campos, que reforçou que ela é uma diva e seduz as câmeras. Vieira acrescentou que curte despertar admiração não só nas câmeras.
 
“Eu sou uma sedutora, adoro seduzir. Gosto de seduzir, ou pela minha inteligência, ou pelo corpo, ou pelo meu humor. Não hoje. Meu corpo estava bom até a Covid chegar. Mas comprei uma esteira, faço academia, faço aula de balé… Mas quero sempre ser bonita. Não quero ser velha, não quero ser feia e não quero morrer. Estou feliz comigo assim do jeito que estou. E ainda vai passar um ano para eu poder me ver na televisão”.
 
Ao ler o comentário de um hater, Susana comentou sobre os efeitos da pandemia em algumas pessoas:
 
“As pessoas estão com raiva porque não estão vivendo. Eu me sinto morrendo parada, sem fazer nada. Só não consigo pegar essa raiva que eu tenho jogar em texto. Sou uma pessoa espiritualizada, acredito em Deus. Só me pergunto por que Deus permitiu essa doença no mundo inteiro”.
 

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados