• Início
  • Notícias
  • Senador quer legalizar jogo do bicho e cassinos para “retomar” economia

Projeto relatado pelo Angelo Coronel quer legalizar jogos de cassino, caça níqueis e jogo do bicho

Senador quer legalizar jogo do bicho e cassinos para “retomar” economia

Por Marina Oliveira
Congresso em Foco
Imagem: Agência Senado
O senador Angelo Coronel (PSD-BA) deve apresentar nesta semana seu relatório sobre o Projeto de Lei 2648/2019, de autoria de Roberto Rocha (PSDB-MA), que dispõe sobre a legalização do jogo do bicho, de bingos, caça-níqueis e cassinos para movimentar a economia no pós-pandemia.
 
De acordo com o senador baiano, a legalização e posterior regulamentação de todas as modalidades de jogos de azar tem potencial de injetar até R$ 50 bilhões na economia, além de gerar 700 mil empregos diretos.
 
Angelo Coronel defende que é chegada a hora de bancadas religiosas e não religiosas se unirem para que a matéria passe no Congresso, uma vez que o jogo do bicho, por exemplo, "é um programa cultural" do brasileiro. "Hoje é um costume. Jogam de evangélicos a padres, de médicos a advogados, de policiais a políticos. Uma grande parte faz uma fezinha no jogo do bicho, só que faz clandestinamente. Está na hora de a gente legalizar", diz.
 
O senador afirma, ainda, que o projeto prevê campanhas de conscientização para pessoas com vício em jogos e que atuais bicheiros teriam de se inscrever em editais para regulamentar sua situação. O texto, defende Angelo Coronel, também daria aos ministérios da Economia e do Desenvolvimento Regional, ou a uma agência regulatória, a atribuição de fiscalizar e regular os cassinos, assim como a Caixa cuida hoje das loterias federais. "Joga quem quer, ninguém é obrigado a jogar", defende o senador.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados