Palmeiras chega para decisão em busca do segundo título continental

Santos e Palmeiras decidem Libertadores no Maracanã

Por Rogério Vidmantas
Imagem: Agência Palmeiras
Esta é a terceira vez que a final acontece entre times brasileiros
 
 
Dia de decisão 100% brasileira na Copa Libertadores. No Rio de Janeiro, Santos e Palmeiras jogam pelo título da principal competição do continente. O jogo único, no Estádio do Maracanã, acontece às 16h (MS) e terá transmissão para todo Brasil no SBT na rede aberta e na Fox Sports na fechada. A partida pode ser acompanhada também pela MS Web Rádio usando o aplicativo Radiosnet no smartphone. 
 
A Conmebol escolheu arbitragem argentina para a final. O árbitro central é Patricio Loustau, auxiliado por Ezequiel Brailovsky e Diego Bonfa. O responsável pelo árbitro de vídeo é Mauro Vigliano.
 
 
Essa é a terceira vez que clubes do Brasil decidem quem fica com a taça e representa a América do Sul no Mundial de Clubes da Fifa, que acontece entre os dias 4 e 11 de fevereiro, no Catar. Em 2005, o São Paulo foi campeão batendo o Athletico-PR e, no ano seguinte, o Tricolor chegou de novo na decisão, mas foi batido pelo Internacional
 
"4% é muito!"
 
O Santos chegou até a final da Libertadores sob um mantra. No vestiário de La Bombonera, quando o time se preparava para enfrentar o Boca Juniors, pela semifinal, o capitão Alison fez um discurso emocionante, que encheu os jogadores de coragem para um duelo complicado. Ao lembrar da desconfiança das pessoas a respeito do Peixe, Alisson lembrou os percalços da vida de cada um dos jogadores e garantiu: "Para nós, 4% de chance é muito".
 
Foi assim, sem medo de correr atrás do sonho, que o Santos segurou o Boca na Argentina, atropelou os xeneizes na Vila e garantiu sua vaga para a decisão. Em entrevista coletiva na véspera da final, o capitão descreveu a origem do lema que tomou conta do grupo e dos torcedores santistas.  "Sabemos o quão difícil é entrar num clube grande, se firmar, se manter. Então, hoje, eu olhando para essa final, a resposta é que vale a pena acreditar num sonho, por mais difícil que seja. Vale a pena confiar e lutar até o fim. É difícil, é um sonho da grande maioria dos garotos. Sabemos da dificuldade e temos de dar valor", explicou Alison.
 
E como o número quatro se faz presente nessa história, o Santos busca justamente o tetracampeonato. O Alvinegro foi campeão da Conmebol Libertadores em outras três oportunidades: 1962, 1963 e 2011. No bi de 62-63, o Peixe jogou as finais do torneio no Maracanã, onde foi abraçado pela torcida carioca.
 
"A taça Libertadores obsessão!"
 
O Palmeiras não faz a menor questão de esconder que conquistar a Libertadores é uma obsessão para o clube. Está na mentalidade dos atletas, da comissão técnica e, há anos, no canto da torcida que costuma lotar o Allianz Parque. Reconquistar a América é mais do que um sonho para os palmeirenses: é uma missão.
 
O Alviverde está em sua quinta final do torneio e parte em busca do bicampeonato. O título foi conquistado em 1999 e, logo no ano seguinte, o Verdão bateu na trave na decisão. Desde então, o Palmeiras ficou duas décadas longe da final da Libertadores. De volta, o clube quer aproveitar esta oportunidade para dominar a América mais uma vez.
 
Capitão do time, o paraguaio Gustavo Gómez falou um pouco sobre a expectativa que cerca o elenco do Palmeiras antes da final deste sábado. "A ansiedade está aí, né? Não muda nada. A gente está trabalhando, descansando bem, tratando de fazer um grande jogo. A ansiedade está aí, mas vamos desfrutar o momento. É um momento único, poucos jogadores conseguem jogar uma final de Libertadores", declarou o zagueiro, em entrevista coletiva.
 

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados