Inflação dos EUA é a maior em 41 anos

Por Leonardo Gottems
AGROLINK
Imagem: Fotos Publicas
Motivada principalmente pelo aumento de preços nos alimentos e combustíveis
 
O índice de preços ao consumidor nos Estados Unidos (CPI), considerado o indicador oficial da inflação do país, subiu 1,3% em junho na comparação com maio, segundo dados divulgados pelo Departamento do Trabalho norte-americano. Levando em conta o mesmo mês do ano anterior, a alta encontrada foi de 9,1%, considerado o maior valor em 41 anos.
 
Além disso, o núcleo de inflação, que exclui alimentos e energia, onde os preços são mais voláteis, subiu 0,7% na comparação mensal e 5,9% na anual. No entanto, segundo o consenso Refinitiv, a estimativa era de uma alta de 1,1% na comparação mensal para a inflação e de 0,6% para o núcleo, sendo que a projeção era de 8,8% para o índice “cheio” e 5,7% para o núcleo para a base anual.
 
A inflação dos EUA subiu, assim como no mês passado, motivada principalmente pelo aumento de preços nos alimentos e combustíveis, já que, em junho, o preço médio do galão da gasolina nos Estados Unidos atingiu US$ 5 pela primeira vez na história. A partir de agora, o mercado já começa as apostas em uma nova alta de 0,75 ponto percentual nos juros do país pelo Federal Reserve na próxima reunião de política monetária, em julho.
 
 
Na ata da última reunião, o Fed já havia indicado que poderia realizar uma alta de 0,5 p.p. ou 0,75 p.p., dependendo dos indicadores divulgados sobre a economia do país. A mais recente alta ocorreu nos juros de março, quando foi a maior desde 1994. Isso tudo acontece porque existe um choque de oferta, que eleva preços principalmente de commodities como o petróleo e uma uma demanda aquecida, com um mercado de trabalho próximo do pleno emprego.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados