• Início
  • Notícias
  • Bolsonaro diz que Guedes fica, apesar de "mercado nervosinho""

Paulo Guedes tenta se manter cargo após debandada na pasta

Bolsonaro diz que Guedes fica, apesar de "mercado nervosinho""

Por MELISSA FERNANDEZ
Congresso em Foco
Imagem: Edu Andrade/Ascom/ME
Depois de uma debandada de secretários vivenciadas no Ministério da Economia na quinta-feira (21), o presidente da República Jair Bolsonaro foi à público afirmar que o ministro Paulo Guedes permanecerá no governo.
 
“Paulo Guedes continua no governo e o governo segue com a agenda de reformas. Defendemos as reformas, que seguem no Congresso Nacional”, afirmou Bolsonaro à CNN Brasil.
 
A permanência de Guedes no comando da pasta ficou em dúvida depois dos pedidos de demissão dos secretários Bruno Funchal, do Tesouro e Orçamento e Jefferson Bittencourt, do Tesouro Nacional, além dos secretários-adjuntos Gildenora Dantas e Rafael Araújo.
 
As demissões se deram em meio ao temor, que já vem se refletindo na Bolsa de Valores, de que o governo federal desrespeitará o teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas como o Auxílio Brasil, novo programa de renda básica social que sucederá o Bolsa Família.
 
Durante a live semanal que promove nas redes sociais, ainda na quinta (21), Bolsonaro disse que o mercado “fica nervosinho” quando se falam em gastos que ameaçam o teto, e citou a criação do auxílio de caminhoneiros.
 
“Vão ter novos reajustes dos combustíveis? Certamente teremos. Por que vou negar isso daí? Estamos buscando solução. O auxílio de R$ 400 para caminhoneiros, que vai estar abaixo de R$ 4 bilhões por ano, dentro do Orçamento. Daí fica o mercado nervosinho”, disse. Também mandou recado aos investidores: “Se vocês explodirem a economia do Brasil, pessoal do mercado, vocês vão ser prejudicados também”.
 
A demissão da cúpula do Ministério da Economia resgataram a possibilidade de convocação de Guedes para o Plenário da Câmara, anteriormente requerido pela oposição para que o ministro explicasse as offshores mantidas por eles em paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados