Lucas de Lima pede liberação do pedágio durante pandemia

O deputado estadual Lucas de Lima (Solidariedade) apresentou terça-feira na Assembleia Legislativa indicação no sentido de liberar com a máxima urgência as praças de pedágios instaladas em Mato Grosso do Sul, bem como o fechamento das guaritas de cobrança onde milhares de pessoas passam todos os dias de sul a norte do estado para evitar a pandemia do coronavírus.

O principal foco do Covid-19 é exatamente nas moedas e cédulas de dinheiro que estão circulando dentro dos veículos, caminhões e consequentemente pelas mãos dos trabalhadores da CCR MSVia.

A indicação foi encaminhada ao governador Reinaldo Azambuja, com cópia ao Presidente da Agesul Luís Roberto de Araujo, solicitando que sejam fechadas com as praças de pedágio, operadas pela concessionária CCR MSVia, em consonância com as orientações da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), tendo em vista pandemia instalada pelo vírus.

Lucas de Lima ressalta que é sabido que o vírus pode durar por até 72 horas no metal inoxidável e até 24 horas no papel, ou seja, em moedas contaminadas e cédulas de dinheiro que são dadas como troco para os motoristas e como pagamento para os funcionários na guarita, onde o vírus pode durar até 3 dias infectando uma só moeda.

“Se o mundo está preocupado com a propagação do vírus Covid-19, se nós temos que lavar as mãos e usar o álcool em gel, as moedas, as cédulas de papel que circulam dentro dos veículos são focos preocupantes em nosso estado”, afirmou o deputado. Existem 11 praças de pedágio ao longo da rodovia BR-163 e uma praça na BR-262, em Porto Morrinhos na região de Corumbá.