Banner São Bento

Dois garagistas são presos por financiar traficantes

compartilhe:

HELIO DE FREITAS

Especial para o Diário MS

Maconha apreendida ontem levou polícia a garagistas acusados de financiar traficantes – Foto: Divulgação

 

Dois garagistas foram presos ontem em Dourados acusados de financiar traficantes de drogas que compram maconha no Paraguai para levar a grandes centros consumidores do país. Cláudio Rodrigues, 43, e Carlos Vieira de Aguiar Júnior, 39, donos de uma garagem localizada na Avenida Coronel Ponciano, foram presos pelo SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil após a prisão de Thiago Henrique Benites Pádua, 32, morador no residencial Vival dos Ipês, região sul da cidade.

Os policiais chegaram a Thiago durante as investigações da Operação Assepsia, deflagrada na madrugada de 5 deste mês, quando 24 pessoas foram presas em Dourados por ligação com o tráfico e vários outros crimes.

Na casa de Thiago a polícia encontrou 59 fardos de maconha. A mulher dele, de 21 anos, também foi presa e levada para a 1ª Delegacia de Polícia.

Como já estavam investigando Thiago, os policiais sabiam que ele tinha dois veículos, um Prisma e uma S10, ambos na cor preta. Como a caminhonete não foi encontrada na casa, os agentes questionaram sobre a S10.

O homem confessou, então, que tinha deixado a caminhonete com um garagista porque precisava de R$ 2 mil para comprar a maconha encontrada na casa. A S10 ano 2013 vale pelo menos R$ 60 mil, mas foi deixada por um valor irrisório com o garagista.

Segundo o delegado Rodolfo Daltro, a polícia apurou ainda que os donos da mesma garagem faziam serviço de agiotagem, emprestando dinheiro a juros a várias pessoas para comprar droga.

As investigações mostram que os garagistas tinham a prática de emprestar dinheiro, ficavam com veículos como garantia e se o empréstimo não fosse pago, vendiam os carros para recuperar o dinheiro.

No escritório da garagem, onde os dois proprietários foram presos, o SIG apreendeu uma pistola calibre 9 milímetros e uma calibre 380, ambas municiadas.

Cláudio Rodrigues negou a história contada por Thiago e disse que havia comprado a caminhonete por R$ 10 mil. Na casa dele os policiais encontraram outra pistola calibre 380. Já na casa de Carlos Júnior foram encontrados R$ 15 mil em dinheiro. Os dois veículos, celulares e documentos também foram apreendidos.

 

PBF HALF

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS