Do amor ao ódio: Vidigal e Berenice estão em estado de guerra

Malagueta – 14/12

 

Vidigal declara guerra à Berenice

Não convide para a mesma mesa o secretário Municipal de Saúde, Renato Vidigal, e a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado Souza, que até pouco tempo atrás enxergava em Vidigal “um sujeito muito bom, que tinha tudo para fazer uma boa gestão na saúde porque era resolutivo e atuava em parceria com o Controle Social”. Ontem, a própria Berenice enviou e-mail à Malagueta relatando um fato nebuloso, vergonhoso e antiético envolvendo o mais resistente integrante do primeiro escalão da prefeita Délia Razuk (PR). Segue o relatado por Berenice de Oliveira Machado Souza à coluna: “Recebi, mediante protocolo no dia 12 de dezembro, antes das 13h30, CONVOCAÇÃO do secretário municipal de Saúde, Renato Vidigal, para reunião do Conselho Curador da Fundação de Serviços de Saúde (Funsaud) no dia 13 de dezembro, ou seja, no dia seguinte, às 14h, na sala de reunião da própria Fundação, conforme cópia em anexo do documento assinado pelo senhor Renato Vidigal”.

 

História da Funsaud

Segue Berenice de Oliveira Machado Souza: em junho de 2017, houve nova composição do Conselho de Saúde para gestão 2017/2019, e o Plenário indicou para fazer parte nessa nova gestão no Conselho Curador da Funsaud, o conselheiro Genivaldo (Resolução n. 19/2017, de 21 de junho de 2017, assinada pela Presidente do Conselho de Saúde e homologado pelo secretário Renato Vidigal), pois até então a representante do Conselho de Saúde no Conselho Curador da Funsaud era esta subscritora.

 

Continua Berenice

A combativa Berenice prossegue: uma vez que o Pleno do Conselho deliberou novo membro para aquela instância, inclusive, publicado em Diário Oficial edição número 4.510, repassei a convocação para o conselheiro Genivaldo para participar da reunião, no entanto, quando lá chegou o senhor secretário de Saúde, Renato Vidigal, não aceitou a presença do conselheiro Genivaldo afirmando que a prefeita (Délia Razuk) não havia homologado por decreto.

 

Justifica Berenice

A presidente do Conselho Municipal de Saúde esclarece: nesse momento, o conselheiro Genivaldo me ligou, relatou os fatos e pediu para que eu fosse na reunião, pois que era eu ainda a representante, conforme convocação. Me dirigi até o local da reunião (uma das salas da Funsaud), ao me ver, o secretário de Saúde falou que a reunião estava cancelada e que iriam realizar uma reunião técnica para cortes de servidores e outros assuntos.

 

Prossegue Berenice

A missivista continua: aí argumentei que não poderiam realizar mudanças sem aprovação do Conselho Curador, quando, nesse momento, o secretário de Saúde, Renato Vidigal, mandou eu ler o regimento e o Estatuto da Funsaud e disse que eu não sabia de nada, entre outras coisas. “No mesmo tom, eu disse que ele – o secretário de Saúde – é quem está precisando ler o Regimento do Conselho Municipal de saúde e a Lei do SUS”, disparou Berenice.

 

Desabafo de Berenice

Desabafa Berenice de Oliveira Machado Souza: veja bem, me desloquei de casa, gastando gasolina do meu bolso, já que agora está proibido deslocar carro oficial após o período de expediente, conforme decreto publicado no diário oficial de hoje (ontem), e meu precioso tempo dedicando para a coletividade, e fui atacada pelo senhor Vidigal.

 

Denuncia Berenice

A presidente do Conselho Municipal de Saúde, denuncia: a coisa está tão desorganizada que mesmo não estando nem nomeado oficialmente, o presidente da Funsaud, Américo Monteiro Salgado Júnior, e outro representante da Secretaria Municipal de Saúde, para integrar o Conselho Curador da Fundação de Serviços de Saúde, estão deliberando nas reuniões, o que é ilegal.

 

Finaliza Berenice

Conclui Berenice de Oliveira Machado Souza: um ano sem reunião do Conselho Curador, que é a instância deliberativa superior da Fundação de Saúde, responsável pela fiscalização e controle de gestão, pela avaliação do desempenho e pela aprovação das políticas adotadas para a execução do contrato de gestão.  “A incompetência desse secretário (Renato Vidigal) é tanta que em quase um ano a Funsaud está nesta situação e nunca fez uma reunião do Conselho Curador”, completa.

 

Salários Atrasados

Médico concursado no Estado e na Prefeitura de Dourados enviou e-mail ontem à coluna com o seguinte teor: “Veja como está a situação de quem trabalha para o município. O governo do Estado já pagou o 13º salário dos servidores e a Prefeitura de Dourados ainda não conseguiu nem concluir o pagamento dos salários de novembro”. Espia só!

 

Comunicação Sorteada

Atendendo determinação do Ministério Público Estadual (MPE), a Comissão Permanente de Licitação da Prefeitura de Dourados realizou hoje pela manhã, com a presença do titular da 16ª Promotoria de Justiça de Dourados, Ricardo Rotunno, o novo sorteio dos nomes que vão compor a Subcomissão Especial que vai escolher a agência vencedora da Concorrência 002/2007 para administrar um orçamento de quase R$ 4 milhões da Comunicação da Prefeitura.

 

Ungidos para Julgar

Desta vez com todos os nomes no mesmo pote e sem direcionamento para ficar com maioria na Subcomissão Especial, os sabidões da Comissão Permanente de Licitação seguiram à risca as orientações do MPE. Coube ao próprio Ricardo Rotunno a missão de retirar os nomes dos potes e o jogo se inverteu, com apenas um sorteado com vínculo com o município. Os ungidos para escolher a agência de publicidade foram: José Aparecido Frota (com vínculo), Régis Antônio Aquino Barros e Valdir da Costa Pereira (ambos sem vínculo).

 

Vereador no MPE

O titular da 16ª Promotoria de Justiça de Dourados, Ricardo Rotunno, conseguiu, enfim, ouvir o vereador Cirilo Ramão (PMDB) em relação às suspeitas lançadas pelo parlamentar sobre a licitação da Comunicação na Câmara de Vereadores de Dourados. Na primeira tentativa o vereador se esquivou por meio de ofício onde informou que estaria fora de Dourados nos dias 7 e 8 de dezembro, mas acabou ouvido nesta semana.

 

Oncologia no Evangélico

O Ministério Público Estadual e o Poder Judiciário de Dourados bem que poderiam fazer um mea culpa em relação a situação da Alta Complexidade em Oncologia no município e restabelecer o status quo nos serviços que atendiam os pacientes. O Hospital Evangélico, único credenciado junto ao Ministério da Saúde, está com equipe competente de Oncologia constituída, oferece total infraestrutura para intercorrências, tem know-how na área oncológica e ainda assim está impedido de atender os pacientes por culpa exclusiva das autoridades, inclusive judiciárias. Vai vendo.

 

Ardidas

 

  • O hipermegaeficiente secretário de Saúde de Dourados, Renato Vidigal, ocupou as redes sociais ontem para rebater a informação da Malagueta que associação que representa os renais crônicos de Dourados protestou contra o corte do transporte que levava os pacientes para sessão de hemodiálise em outras cidades. Vidigal satirizou a coluna afirmando que cancelou mesmo o contrato com a empresa que levava os pacientes para sessão de hemodiálise em Ponta Porã porque os renais crônicos não precisam mais sair de Dourados para ser atendidos. Essa explicação deveria ser dada à Associação dos Renais Crônicos que foi protestar na porta da Secretaria Municipal de Saúde e não à coluna, que apenas informou o fato.

 

  • Ademais, já que está tão vigilante em relação aos serviços prestados para os renais crônicos de Dourados, o secretário Renato Vidigal poderia mandar a Vigilância Sanitária do Município avaliar o setor de Nefrologia do Hospital da Caixa de Assistência aos Servidores (Cassems) em Dourados, que atende pacientes do SUS, ou seja, recebe da prefeitura. Fiscais estaduais da Vigilância Sanitária estiveram lá na semana passada e não gostaram nada do que viram, sobretudo em relação às instalações e tempo médico de permanência dos pacientes em sessões de hemodiálise. Fica a dica ao hipermegaeficiente Renato Vidigal.

 

  • O PSDB decidiu fechar questão a favor da reforma da Previdência. Na primeira reunião da Executiva comandada pelo governador paulista, Geraldo Alckmin, a legenda decidiu orientar seus deputados a votarem a favor da reforma do presidente Michel Temer (PMDB). Quando um partido fecha questão, seus parlamentares são obrigados a seguir a orientação da legenda sob pena de advertência ou expulsão aos contrários. No entanto, os tucanos decidiram não aplicar qualquer punição aos eventuais dissidentes. Além do PSDB, outros três partidos fecharam questão a favor da reforma: o PMDB, de Temer, o PPS e o PTB.

 

  • A decisão dos tucanos ocorre em meio à divisão da bancada em relação ao apoio a Temer, de quem é considerado o aliado mais importante. Até o momento, apenas 6 dos 46 deputados da bancada declararam voto a favor da proposta do governo, outros 12 são contra mexer no sistema da Previdência, dez se mostraram indecisos e 16 não quiseram responder. Para ganhar tempo e tentar convencer deputados indecisos ou que já anunciaram votar contra o texto, o governo marcou a data da votação na Câmara para o dia 18 de dezembro. No entanto, sem o apoio necessário para aprovar o texto na Casa, 308 votos favoráveis, Temer já fala em deixar a votação da proposta para o próximo ano.