São bento 01

As principais novidades no mercado brasileiro em 2018

compartilhe:

Sem riscos

Fabricantes tentam consolidar suas vendas em 2018 através de segmentos de maior volume, como o de SUVs e o de sedãs compactos

POR VICTOR ALVES

AUTO PRESS

Quando o momento é de incertezas, o melhor é não arriscar muito. Por isso, com o cenário político e econômico do Brasil apresentando tanta instabilidade em 2018, as fabricantes de automóveis preferiram voltar as atenções para os segmentos mais promissores e de maior volume. É o caso dos SUVs, sempre em alta mesmo em tempos de crise, e também dos sedãs compactos, que apresentou bons lançamentos no decorrer do ano.

De acordo com dados da Fenabrave, o acumulado de veículos SUVs emplacados neste ano teve 2,28% de aumento em relação a 2017. No caso dos sedãs compactos, o crescimento foi de 2,11%. Esses segmentos, juntamente com o de hatchs compactos, foram os únicos que apresentaram saldo positivo e contribuiram para o aumento de 14,1% do volume de novos carros vendidos no país em relação a 2017.

Grande parte do crescimento dos sedãs compactos se deu pelo incremento de sofisticação dos modelos. Volkswagen Virtus e Toyota Yaris, que aparecem entre os cinco mais vendidos, são bons representantes desse caso. O modelo da marca alemã é feito sobre a moderna plataforma MQB A0 e parte dos R$ 59.990, enquanto o japonês chegou por aqui no início do ano em sua terceira geração partindo de R$ 63.990. Tem ainda o Fiat Cronos, derivado do hatch Argo, custando a partir de R$ 56.990.

Em 2018, os utilitários seguiram mantendo a mesma confiança de sempre para o mercado automotivo. Jeep Compass, Honda HR-V, Hyundai Creta e Jeep Renegade figuram o ranking dos mais vendidos no ano. Todo esse sucesso embalou outras fabricantes a lançarem novidades nesse segmento para tentar abocanhar alguma fatia nas vendas, como, por exemplo, a Caoa Chery com o Tiggo 2 e o Tiggo 5X e a Citroën com o C4 Cactus. A BMW apresentou ainda as novas X3 e X4, que passam a sair da fábrica no Brasil em 2019. Quem também passa a ser produzido no Brasil é o sedã Mercedes-Benz C200, que tem um sistema auxiliar de potência híbrido.

Houve ainda muitas outras novidades entre importados em relação aos SUVs. A lista de modelos renovados é grande: Volkswagen Tiguan Allspace, a Jaguar E-Pace, JAC T50, Porsche Cayenne, Volvo XC40, Honda CR-V e Peugeot 5008, entre outros. Entre esportivos, a Audi trouxe no início do ano o novo TT RS, a Honda mostrou o Civic Si de 10ª geração e a Ford fez enorme sucesso ao trazer oficialmente o Mustang.

 

Principais lançamentos de 2018

Audi TT RS – O Audi TT RS 2.5 Turbo chegou ao Brasil em fevereiro pelo preço de R$ 424.990. É o modelo mais potente da história do cupê esportivo, apresentado no Salão de Pequim de 2016. O TT RS vem com o mesmo motor 2.5 turbo de cinco cilindros que equipa o RS 3, capaz de render 400 cv e 48,9 kgfm de torque. O câmbio é o S Tronic automatizado de dupla embreagem, com sete velocidades, e a força é enviada para as quatro rodas, pelo sistema de tração tradicional da fabricante, o Quattro. De acordo com a montadora, o Audi TT RS parte do zero e atinge os 100 km/h em apenas 3,7 segundos e registra velocidade máxima de 250 km/h. Entre os equipamentos disponíveis estão painel de instrumentos virtual – o virtual cookpit, já presente em diversos modelos vendidos no Brasil –, bancos esportivos com couro sintético, faróis em leds e suspensão esportiva semiativa. Também vem com partida sem chave, sensores de obstáculos, câmara de ré, detalhes em fibra de carbono e uma central multimídia com GPS integrado.

 

BMW X3 – O novo BMW X3 mede 4,72 metros de comprimento, 2,86 m de distância entre-eixos, 1,89 m de altura e 1,68 m de largura. Tem 450 litros de capacidade no porta-malas e pode receber motor de quatro cilindros em linha 2.0 litros de 252 cv de potência ou, no caso do M40i, um propulsor M Performance TwinPower Turbo, de seis cilindros em linha, 3.0 litros, capaz de entregar 360 cv. Ambos têm câmbio automático de oito velocidades e tração integral. Na versão mais potente, o zero a 100 km/h é cumprido em meros 4,8 segundos. O novo X3 é oferecido nas versões xDrive20i X Line, por R$ 276.950, xDrive30i X Line, a R$ 309.950, e M40i, a partir de R$ 397.950. Faróis full led, acabamento com alumínio acetinado, painel de instrumentos com display totalmente digital multifuncional de 12,3 polegadas, ar-condicionado automático digital com controle de três zonas, bancos dianteiros esportivos com ajuste lombar para motorista e passageiro, assentos traseiros tripartidos, volante revestido em couro e teto solar panorâmico estão entre os itens disponíveis.

BMW X4 – A BMW começou a vender no Brasil a segunda geração do X4 oficialmente a partir do Salão de São Paulo desse ano. Inicialmente, o modelo vem produzido dos Estados Unidos, mas depois será substituído pelo modelo produzido na fábrica de Araquari. Ele chegou em duas versões: xDrive30i M Sport, com preço sugerido de R$ 334.950, e a topo de linha M40i, por a partir de R$ 421.950. O primeiro traz sob o capô um motor 2.0 de 252 cv, enquanto o M40i traz um 3.0 com seis cilindros em linha e 360 cv. A transmissão automática é sempre de oito marchas.

Cherry Tiggo 5X – O modelo é equipado com motor 1.5 turbo de 150 cv e tem versões com preços que partem dos R$ 86.990 e chegam aos R$ 96.990. São 4,33 m de comprimento, 2,63 m de entre-eixos e porta-malas de 340 litros de capacidade, que pode chegar aos 1.100 litros caso os bancos traseiros sejam rebatidos. O Tiggo 5x tem câmbio automatizado de dupla embreagem com seis marchas. Além disso, conta com freios a disco com ABS e EBD, suspensão independente nas quatro rodas, e uma extensa lista de equipamentos. Inicialmente, são quatro cores: branco perolizado, cinza metálico, prata metálico e preto metálico. O vermelho metálico só estará disponível em março do ano que vem.

Citroën C4 Cactus – Produzido na fábrica do grupo PSA em Porto Real, no estado do Rio de Janeiro, o modelo é construído sobre a plataforma da nova geração do C3 – já disponível na Europa. Tem a motorização 1.6 THP de 173 cv máximos com etanol e caixa automática de seis velocidades, o mesmo conjunto utilizado no sedã C4 Lounge, e, nas configurações mais baratas, o motor é o 1.6 16V aspirado de 118 cv, com câmbio manual ou automático de seis marchas. O entre-eixos é de 2,59 metros, 5 cm maior que o do Aircross e o comprimento é de 4,17 m. Sâo R$ 68.990 na versão de entrada e R$ 101.080 na de topo.

Fiat Cronos – Versão sedã do Argo, o Cronos estreia a plataforma a MP-S (Modular Platform Sedan), desenvolvida para ele. O visual tem muitos pontos em comum com o hatch, mas com elementos que conferem identidade própria ao sedã. Os para-choques têm desenho diferente e tanto a grade frontal como a saída de ar na parte inferior são percorridas por filetes cromados horizontais. O carro pode ser equipado com propulsores Firefly 1.3 e E-Torq 1.8, ambos flex e já utilizados em outros modelos da Fiat.

Mercedes-Benz C200 Limousine, selenitgrau metallic designo, Leder Nappa zweifarbig platinweiß pearl/schwarz.;Kraftstoffverbrauch kombiniert: 6,3-6,0 l/100 km; CO2-Emissionen kombiniert: 144-136 g/km*
Mercedes-Benz C200 Sedan, selenite grey metallic Two-tone designo nappa leather platinum white pearl/black.;Fuel consumption combined: 6.3-6.0 l/100 km; Combined CO2 emissions: 144-136 g/km*

Ford Mustang – Com seus 54 anos de história, o Mustang chegou ao Brasil oficialmente pela primeira vez em versão única, a GT Premium, custando R$ 299.900. Sob o capô, a alegria é garantida pelo motor V8 de 5.0 litros, de 466 cv e 56,7 kgfm de torque máximo, e que é associado a uma transmissão automática de dez marchas. O trem de força consegue fazer com que o cupê parta do zero e atinja 100 km/h em apenas 4,3 segundos, de acordo com dados da própria Ford, e chegue aos 250 km/h de velocidade máxima, limitada eletronicamente. Além do arquirrival Chevrolet Camaro, o Mustang disputa mercado também com Porsche 911, Audi TT e BMW M2.

Honda Civic Si – Trazido do Canadá desde abril desse ano, o Civic Si é vendido em versão única a R$ 162.900. Ele tem novo motor turbo 1.5. Com injeção direta, duplo comando de válvulas variáveis no cabeçote e quatro cilindros, ele trabalha em conjunto com transmissão manual de seis velocidades. É um propulsor semelhante ao usado na versão Touring do Civic nacional, mas com rendimento bem diferente: no Touring, a potência é de 173 cv e o torque de 22,4 kgfm, enquanto no Si o propulsor rende potência máxima de 208 cv em 5.700 rpm e torque de 26,5 kgfm, que aparece aos 2.100 giros e se mantém em 70% da faixa de rotação útil do motor. Detalhes do interior incluem iluminação vermelha do painel em TFT e dos comandos internos, pedais em alumínio e friso do painel de instrumentos com acabamento semelhante à fibra de carbono.

Honda CR-V – A quinta geração do utilitário da marca japonesa chegou ao Brasil em versão única – e de topo. O CR-V Touring sai por R$ 179.900 e vem importado dos Estados Unidos, onde é montado sobre a mesma plataforma de Accord e Civic. O modelo está maior e mais alto, carregando sob o capô um 1.5 turbo a gasolina – já utilizado no Civic – de 190 cv e 24,7 kgfm, acoplado a um câmbio automático variável CVT.

JAC T50 – Versão aprimorada do T5, o utilitário compacto é vendido em duas versões e parte de R$ 82.990, chegando aos R$ 86.990 na versão de topo. O motor é mais forte do que o antigo T5: um 1.6 de 138 cv, acoplado a um câmbio automático CVT. Segundo a marca, acelera de zero a 100 km/h em 12,1 segundos. Por fora, em relação ao T5, o T50 tem um novo para-choque dianteiro, faróis e rodas. Atrás, as lanternas e para-choque têm novo formato. A cabine também mudou e o painel ficou mais moderno. A central multimídia agora é destacada, no alto da peça, e o volante também é novo. A versão de entrada traz partida por botão com chave presencial, ar-condicionado automático, controle de estabilidade e central multimídia com tela de oito polegadas. A versão de topo acrescenta volante revestido de couro e sistema de câmaras 360° para auxílio a estacionamento.

 

Jaguar E-Pace – Menor SUV da marca, o E-Pace tem preços que partem dos R$ 195.400 e chegam aos R$ 278.080. O motor é um 2.0 turbo da família Ingenium, que pode ter duas potências: 250 cv e 300 cv, sempre com câmbio automático de nove marchas e tração integral. Itens como oito bolsas airbags, sensores de estacionamento frontal e traseiro, botão de partida e faróis de led estão presentes em todas as versões. Opcionais como chave presencial, quadro de instrumentos digital e head-up display fazem parte de pacotes mais caros. O porta-malas tem 577 litros. Recentemente, o E-Pace vendido no Brasil ganhou motor com tecnologia flexível, sendo o primeiro da marca a funcionar tanto com gasolina e/ou etanol em qualquer proporção.

 

Mercedes C200 – O novo C200 recebeu o motor 1.5 litro da nova família EQ Boost, que utiliza um sistema considerado Mild Hybrid, ou híbrido suave. O antigo alternador foi substituído por um que, além de gerar energia, se converte em motor auxiliar e em motor de arranque, dependendo da exigência. Quando está na função de motor, ele é alimentado pela mesma bateria de 48V que ele tem de carregar quando está na função alternador. Para aumentar o desempenho do motor 1.5 de turbo duplo, este motor/alternador traciona diretamente o virabrequim, via correia. A potência nominal é de 183 cv, adicionado de 14 cv oriundos do motor elétrico, e o torque é de 28,6 kgfm do motor a combustão somados a 16,4 kgfm do propulsor elétrico, que resulta em um máximo de 45 kgfm. O resultado é um zero a 100 km/h de 7,7 segundos. O modelo sai das concessionárias por R$ 228.900.

 

Peugeot 5008 – O utilitário da Peugeot é fabricado na França, com capacidade para carregar até 7 ocupantes. Ele tem duas versões, a Griffe, que sai por R$ 157.490, e a Griffe Pack, por R$ 166.490. A plataforma é a EMP2 e a lista de equipamentos é bem recheada: teto solar panorâmico, bancos do motorista e passageiro dianteiro com massageador, controle eletrônico de estabilidade, fixação Isofix para cadeirinhas infantis, seis airbags, sistema de auxílio de partida em subidas, faróis full led com luz diurna em LED, sensores de chuva e crepuscular, suporte para carregamento de celular por indução, multimídia compatível com Apple CarPlay, Google Android Auto, MirrorLink, entre outros. Quem dá conta de movimentar o modelo é o 1.6 THP a gasolina, de 165 cv e 24,5 kgfm de torque, ligado ao câmbio automático de seis marchas. A tração é apenas dianteira.

 

Porsche Cayenne – O SUV de luxo desembarcou no Brasil em sua terceira geração. Os preços partem dos R$ 423 mil em versões que incorporam um motor turbo V6 de 3 litros, 340 cv de potência e um torque de 45 kgfm, e um 2.9 V6 biturbo, com 440 cv e 56 kgfm. A dirigibilidade é otimizada pelo Porsche 4D Chassis Control, que altera o comportamento da suspensão em tempo real. São 770 litros de capacidade no bagageiro (100 litros a mais em relação à geração anterior), e o interior agora conta com a nova tela sensível ao toque de alta definição de 12,3 polegadas com a última geração do software Porsche Communication Management.

 

Toyota Yaris – Disponível também na versão hatch, o Yaris sedã tem motor 1.5 com 110 cv e 14,9 kgfm de torque (o mesmo do Etios, mas com algumas melhorias). Ele fica posicionado entre o Etios e Corolla e tem tem 4,42 metros de comprimento (sedã), 1,73 m de largura, 1,49 m de altura e 2,55 m de distância entre-eixos. São 473 litros de volume no bagageiro e 45 litros no tanque de combustível. A lista de equipamentos inclui comandos no volante, direção elétrica, ar-condicionado, som, faróis com acendimento automático, rodas de liga leve de 15 polegadas, vidros e travas elétricas, controle de tração e estabilidade, assistente de rampa, faróis de neblina, Isofix, retrovisor antiofuscante e alarme, além de airbag duplo e frenagem com ABS.

 

Volkswagen Virtus – O três-volumes tem entre-eixos cerca de 5 cm mais longo que o do Polo, do qual é derivado. O sedã Virtus tem duas opções de motor: o 1.6 MSI de quatro cilindros, 117 cv e 16,5 kgfm, com câmbio manual de cinco marchas, e 1.0 turbo de três cilindros, 128 cv e 20,4 kgfm, com câmbio automático de seis marchas. Já é o segundo carro da marca por aqui feito sobre a plataforma modular MQB-A0 e, embora seja classificado como compacto premium, suas dimensões o colocam exatamente entre os compactos e os médios do mercado – uma definição mais precisa seria médio-compacto.

 

Volvo XC40 – Trata-se do menor SUV da marca sueca. Foi lançado por R$ 169.950 na versão de entrada T4, enquanto as outras T5 Momentum e T5 R-Design têm preços de R$ 194.950 e R$ 214.950, respectivamente. O XC40 é o primeiro carro a ser feito na plataforma CMA, desenvolvida em parceria com a Geely, que é proprietária da Volvo, e tem 4,42 m de comprimento, 1,86 m de largura, 1,65 m de altura e 2,70 m de entre-eixos. A gama de motores compreende um 2.0 litros da família Drive-E que rende 190 cv na versão de entrada e 255 cv nas outras, sempre associados a um câmbio automático de oito marchas.

Fercical
Jeep

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS