São Bento 02

Alan Guedes pode ser o candidato de Murilo à prefeitura de Dourados

compartilhe:

Malagueta – 16/04/2019

Malagueta web banner

Alan Guedes ganha protagonismo e pode ser candidato de Murilo à Prefeitura de Dourados

O vereador Alan Guedes (DEM), que surpreendeu as principais lideranças políticas de Dourados ao se viabilizar como candidato à presidência da Câmara de Vereadores e conquistar o comando da Mesa Diretora, agora é apontado como o favorito do vice-governador Murilo Zauith (DEM) para a disputa da Prefeitura de Dourados em 2020. Murilo é presidente da Executiva Estadual do Democratas e deve assumir o governo do Estado em abril de 2022, quando o atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) irá renunciar para concorrer a cadeira no Senado Federal, numa disputa direta com a senadora Simone Tebet (MDB). Assumindo a titularidade do governo do Estado, Murilo então disputaria a reeleição em outubro e precisará de prefeitos da sua confiança para garantir a vitória nas urnas, muito provavelmente numa disputa direta com um candidato do clã Trad. A preferência de Murilo Zauith pelo arrojo, dinamismo e juventude de Alan Guedes tem sido demonstrada na relação próxima do presidente da Câmara de Vereadores com o vice-governador e secretário de Estado de Infraestrutura. Exemplo disso é a atenção que Murilo tem dispensado não apenas às indicações e requerimentos do vereador, mas também por estar dando protagonismo à gestão de Alan Guedes no comando da Câmara de Dourados, tanto que o vice-governador escolheu o plenarinho da Casa de Leis para se reunir com a prefeita Délia Razuk (PR) ontem onde discutiu obras e projetos importantes para o município.

Relação Institucional

A postura de Alan Guedes no comando do Poder Legislativo de Dourados tem sido digna de um estadista, sempre priorizando o respeito institucional com o Poder Executivo e servindo de ponte para a solução dos principais problemas do município. Durante a campanha pela presidência da Câmara, os bajuladores de plantão venderam dificuldades para a prefeita Délia Razuk, chegando a jurar que Alan Guedes iria se empenhar em inviabilizar o governo dela. Agora a prefeita descobriu que tudo não passou de fofoca de baba-ovo.

Parceiro Municipal

Ao invés de ser o cavaleiro do apocalipse, imagem que os puxa-saco do Executivo tentaram vender em dezembro, o vereador Alan Guedes tem se revelado um parceiro da prefeita Délia Razuk na busca por soluções para os problemas mais urgentes de Dourados. Nessa linha, ele tem atuado não apenas junto ao vice-governador Murilo Zauith, mas também perante a bancada de Dourados na Assembleia Legislativa.

Disputa Democrata

Caso Alan Guedes seja mesmo ungido pelo vice-governador Murilo Zauith como candidato a prefeito de Dourados, o deputado estadual José Carlos Barbosinha (DEM), que alimenta há anos o sonho de administrar o município, teria que engavetar seu projeto mais uma vez. Talvez por isso, assessores próximos do deputado têm garantido ele já considera a possibilidade de trocar o DEM pelo PSDB, ganhando assim o aval do governador Reinaldo Azambuja para disputar a Prefeitura de Dourados.

Futuro Tucano

Caso a mudança para o ninho tucano se concretize, Barbosinha ainda teria que superar o campeão de votos e deputado estadual Marçal Filho (PSDB) numa pesquisa quantitativa para ser escolhido candidato do tucanato à Prefeitura de Dourados. O próprio Marçal não tem escondido de ninguém que irá para a disputa caso as pesquisas comprovem que essa é a vontade do eleitor douradense. Vai vendo…

Remember Eleitoral

A eventual migração de Barbosinha para o PSDB deixaria os tucanos na mesma situação que viveu o MDB anos atrás, com três nomes fortes para disputar a Prefeitura de Dourados. No cenário atual os tucanos teriam Marçal Filho, Geraldo Resende e, eventualmente, Barbosinha, enquanto num passado recente o então PMDB (hoje MDB) de André Puccinelli tinha Marçal Filho, Geraldo Resende e Délia Razuk.

 …

Remember da Derrota

Em 2016 Geraldo Resende, que era deputado federal e comandava a Executiva Municipal do MDB, chegou a realizar prévias no partido para definir o candidato à sucessão do então prefeito Murilo Zauith. O escolhido foi o próprio Geraldo, que acabou rachando a legenda e provocando a migração de Marçal Filho para o PSDB e de Délia Razuk para o PR. No entanto, Geraldo acabou abandonando o MDB e pulou para o ninho tucano para ser candidato a prefeito com as bênçãos do governador Reinaldo Azambuja. O resultado desse samba do crioulo doido todo mundo já sabe.

Vereadores Cassados

A partir de sexta-feira, dia 19, inicia a contagem regressiva para as Comissões Processantes da Câmara de Vereadores apresentarem os relatórios finais que vão decidir pela cassação dos mandados dos vereadores-afastados Pedro Pepa (DEM), Idenor Machado (PSDB), Cirilo Ramão (MDB) e Denize Portolann (PR). Ainda que todas as Comissões Processantes sejam dominadas pelos vereadores que integravam o Bando do Pepa, a coluna apurou que os relatórios finais serão pela cassação dos mandatos dos acusados por corrupção.

Máfia da Câmara

Pedro Pepa (DEM), Idenor Machado (PSDB) e Cirilo Ramão (MDB) são réus em ações cíveis e criminais depois que o Ministério Público desencadeou a Operação Cifra Negra, que desvendou uma organização criminosa comandada pelos três para fraudar licitações na Câmara de Dourados. Com o compartilhamento das provas das ações propostas pelo MPE, ficou impossível para as Comissões Processantes apontar outro caminho que não seja a cassação dos mandatos do trio.

Máfia da Prefeitura

Já Denize Portolann é réu em ações cíveis e criminais depois que o Ministério Público Estadual desencadeou a Operação Pregão, que desarticulou a quadrilha que havia se especializado em fraudar licitações na Prefeitura de Dourados. A vereadora-afastada foi presa junto com o então secretário municipal de Fazenda, João Fava Neto e com o então diretor do Departamento de Licitações, Anilton Garcia. Ela é acusada de fraudar licitações durante o período em que comandou a Secretaria Municipal de Educação. O relatório da Comissão Processante também será pela cassação de Denize Portolann.

Manobra de Pepa

Os advogados que defendem o vereador-afastado Pedro Pepa no processo de cassação deram um tiro no pé na tarde de ontem. Às 17h30 eles protocolaram Mandado de Segurança com pedido de liminar para obrigar os vereadores Sérgio Nogueira (PSDB), Marcelo Mourão (PRB), Madson Valente (DEM) e Bebeto (PR) a depor como testemunhas de defesa do líder do Bando do Pepa. Às 18h30, talvez depois de despachar com o juiz José Domingues Filho, titular da 6ª Vara Cível de Dourados, e de levarem uma ensaboada daquelas, os advogados desistiram do Mandado de Segurança. Vai vendo!

Leia também…

1- Caos no câncer provoca auditoria no Denasus em Dourados.

2- MP manda Funsaud cobrar ressarcimento de salário pago a mais a médico.

Ardidas
  • O Departamento do Conselho de Supervisão dos Juizados Especiais, sob a presidência do desembargador Geraldo de Almeida Santiago, está monitorando o desempenho dos Juizados Especiais no cumprimento da Meta 2, estabelecida pelo Conselho Nacional de Justiça, para a qual ao menos 90% dos processos judiciais distribuídos até 31/12/2016 devem ser julgados antes de 31/12/2019. No Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, destacam-se no cumprimento desta Meta a 2ª Vara do Juizado Especial Central de Campo Grande, os Juizados Especiais Adjuntos de Bela Vista, Camapuã e Porto Murtinho, além dos Juizados Especiais de Paranaíba e Nova Andradina (Criminal), que fecharam o ano de 2018 com 111,11% de cumprimento. Já a 8ª Vara do Juizado Especial – Justiça Itinerante de Campo Grande, os Juizados Especiais Adjuntos de Bandeirantes, Anaurilândia e Mundo Novo, e os Juizados Especiais de Corumbá, alcançaram o mesmo índice, restando ainda nove meses para o encerramento do prazo. As varas que atingiram esse resultado não possuem litígios pendentes de julgamento entre aqueles distribuídos antes de 31/12/2016. Isso significa que nenhuma demanda tramita há mais de 2 anos e 2 meses, ressaltando a brevidade que exige o rito especial. “Os índices alcançados até agora resultam de esforço contínuo do Conselho de Supervisão dos Juizados Especiais e do comprometimento incessante dos magistrados e servidores no sentido de cumprir a missão do Tribunal de Justiça de MS de proporcionar à sociedade acesso à Justiça e a resolução dos conflitos, por meio de um atendimento de qualidade, eficiente e célere”, destacou Geraldo de Almeida Santiago.

  • O Conselho de Supervisão dos Juizados Especiais, em conjunto com a Assessoria de Planejamento do Tribunal de Justiça, está acompanhando detalhadamente os processos pendentes de julgamento que devem fazer parte da Meta 2 para que seu cumprimento seja efetivo em todos os Juizados Especiais do Estado, e vai auxiliar as varas no controle de cumprimento a fim de que todos estejam julgados antes do termo definido. Várias ações estão sendo desenvolvidas pelo CSJE com o intuito de otimizar as práticas processuais e reduzir ainda mais o tempo de espera para julgamento das ações, visando alcançar, de fato, a celeridade proposta pelos Juizados Especiais, criados pelas Leis nº 1.071, de 11 de julho de 1990 e n.º 9.099, de 26 de setembro de 1995, com base no art. 98 da Constituição Federal. O Departamento do Conselho de Supervisão continuará empenhado em promover meios para que os Juizados Especiais sejam cada vez mais eficientes em suas atuações e na busca por novos métodos e tecnologias que propiciem esta evolução.

  • O deputado Vinicius Poit (Novo-SP) apresentou na Câmara um projeto de lei que tira do Código Penal os crimes de injúria e difamação. Para o parlamentar, apurações dos chamados crimes contra a honra têm sido usadas, inclusive pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para reprimir o debate público, ameaçando jornalistas e formadores de opinião com prisão. Poit explicou ao Congresso em Foco que a “gota d’água” que o levou a protocolar o texto a foi a censura a uma reportagem da revista digital Crusoé e do site O Antagonista que citava o presidente do STF, Dias Toffoli. A decisão foi tomada pelo ministro Alexandre de Moraes no âmbito de um inquérito do Supremo que apura fake news, ameaças e ofensas caluniosas, injuriosas e difamatórias contra os membros do tribunal. Nesta terça, a Polícia Federal (PF) faz mais buscas ligadas a essa investigação. “Estamos pensando neste projeto de lei desde a condenação do Danilo Gentili por crime contra a honra da deputada Maria do Rosário [na última quarta, o apresentador foi condenado a seis meses e 28 dias de prisão em regime semiaberto por crime de injúria contra a parlamentar do PT-RS]. Estudamos o tema e entendemos que a pena não foi proporcional. [A censura à] Crusoé foi a gota d’água”, afirmou Poit. O Código Penal prevê três crimes contra a honra: calúnia (atribuir falsamente um crime a alguém), injúria (atacar a reputação) e difamação (ofender a dignidade ou decoro). Poit propõe descriminalizar os dois últimos, de forma que sejam puníveis apenas pelo artigo 186 do Código Civil, que prevê reparação por meio de indenização, mas não com prisão.

  • O governo anunciou hoje pela manhã que o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDES), vai abrir uma linha de crédito no valor de R$ 500 milhões para caminhoneiros autônomos manterem seus veículos. O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal ficarão responsáveis, inicialmente, por oferecer o crédito, mas a ideia é que todo o sistema bancário e as cooperativas de crédito possam oferecer os empréstimos.  O anúncio foi feito pelo ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni, durante coletiva de imprensa, no Palácio do Planalto. “O governo anuncia neste momento uma linha de crédito para caminhoneiros autônomos de até R$ 30 mil para comprar pneus e fazer manutenção dos veículos. Esta [linha de crédito] sendo desenhada pelo BNDES e vai ser distribuída por todo o sistema bancário, com limite de dois caminhões por CPF, para permitir que realmente o autônomo é que tenha acesso a esse instrumento”, afirmou Onyx. Em seguida, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou que o orçamento da pasta está sendo reestruturado e que R$ 2 bilhões serão empregados no término de obras e na manutenção de rodovias. Ele também afirmou que o governo está desenvolvendo um programa voltado para melhorar a renda dos caminhoneiros, que passa pelo fomento ao cooperativismo e pela eliminação dos intermediários entre o dono da carga e o transportador. “Teremos o fomento das cooperativas, a ideia é trazer os benefícios da pessoa jurídica para o autônomo, para que ele se beneficie do fato de ter CNPJ para compra coletiva e contratação de seguro, para link direto com o embarcador [agricultor dono de carga]. O grande desafio do nosso governo é dar trabalho para o autônomo. Ano passado se criou insegurança jurídica, muitas empresas partiram para a verticalização, nosso desafio é garantir que autônomos sejam contratados. Resolvendo isso, vamos dar grande passo para o distensionamento da situação”, explicou o ministro.
Jeep

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS