Acompanhando cenário nacional, mercado de carros usados também cresce em Dourados

Reprodução

Bianca Cardozo

Com a economia frágil e, consequentemente, um poder aquisitivo menor do brasileiro, o comércio de carros seminovos ganha cada vez mais força. Dados de pesquisas nacionais realizadas durante este ano mostram que índice aumentou e cerca de 450 mil carros usados a mais foram vendidos em comparação ao ano anterior.

Entre os motivos para o aquecimento do mercado, a diferença de preços entre um carro novo e um usado com certeza pesa na hora da compra.

O Diário MS entrou em contato com algumas concessionárias para saber se os consumidores da região também optam por veículos usados na hora da compra.

Bruno Marchioli, representante do setor de seminovos da Jeep Grandourados, afirma que houve um crescimento de, pelo menos, 40% no setor de usados. “Mais de 25 veículos usados são vendidos por mês, mostrando que, em uma cidade de porte médio, os moradores estão sim procurando economizar na hora do investimento.”, explica.

Em relação à taxa de juros, não há tanta diferença. No entanto, muitos veículos considerados bons, acabam saindo por um valor bem acessível ao consumidor.

Ainda segundo Bruno, o perfil do consumidor que decide pela compra de seminovos é o do consumidor com renda menor. “A maioria da procura é feita por casais que, juntando os ganhos, têm o poder aquisitivo na casa dos quatro ou cinco mil reais”, relata. “Ou seja, os douradenses de classe média mostram sua preferência em economizar um pouco mais na hora de comprar um veículo”, completa.

Além do preço melhor, o setor de seminovos da Jeep Grandourados oferece outras vantagens que tranquilizam aqueles que escolhem comprar um veículo usado, como checagem da procedência e oficina com atendimento especializado, já que uma das preocupações dos compradores é a possibilidade do carro apresentar problemas.

O crescimento também é visível na internet, lugar onde diversas pessoas, que querem comprar outros carros, ofertam seus próprios veículos. Bruno Marchioli alerta que o consumidor deve sempre checar a procedência do veículo, para saber se não houve uma batida muito séria, ou coisa parecida: “Aqui na concessionária a gente sempre faz uma filtragem muito rigorosa para saber se o carro não tem algum sinistro, se não tem multas. Damos preferência a carro com único dono e da região”, finaliza.