Banner São Bento

Sérgio de Paula continua mandando e desmandando no governo do Reinaldo

compartilhe:

Malagueta – 28/11

Novela da Ferroeste
O elegante Hotel Sheraton WTC, em São Paulo, foi o cenário escolhido pela Ferroeste, governo do Paraná e governo de Mato Grosso do Sul, para a gravação hoje de mais um capítulo da novela sobre o ramal ferroviário que vai nascer em Maracaju, passar por Itaporã, Dourados, Caarapó, Juti, Naviraí, Itaquiraí, Eldorado, Mundo Novo, até chegar em Cascavel, no Paraná, onde se juntará ao ramal já existente que levará ao Porto de Paranaguá. O próprio convite para a solenidade é contraditório. Na capa traz o título “Lançamento da Nova Ferrovia”, para no texto interno informar: “o próximo passo é o lançamento de um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), instrumento administrativo que dá início à possibilidade de parcerias público-privadas, no sentido de viabilizar o projeto da nova ferroa”. Uai, o que vai ocorrer hoje será o lançamento do Ramal da Ferroeste de verdade ou mais um engodo desse projeto que nasceu na metade da década passada e nunca saiu do papel? Pelo jeito, será mais um capítulo em que o dinheiro do contribuinte acaba financiando viagens sem qualquer sentido!

Novela Antiga
A novela da Ferroeste é tão antiga que em 28 de janeiro de 2008, portanto, há quase 10 anos, o então governador André Puccinelli se encontrou com a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para anunciar que o projeto da construção do ramal ferroviário entre Paraná e Mato Grosso do Sul havia sido incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Novela nos Trilhos
Em 12 de fevereiro de 2009 foi a vez dos governadores do Paraná e de Mato Grosso do Sul se encontrarem para lançar o projeto que prometia mudar o cenário econômico do Estado. Desde então, todo ano tem um novo lançamento do ramal da Ferroeste, que já tem até valor estimado para a obra: R$ 10 bilhões. A novela é tão antiga, que quando chegar ao capítulo derradeiro já terá perdido a graça.

Deputado Atrasado
O deputado estadual Renato Câmara (PMDB) perdeu a hora na última sexta-feira e chegou por volta das 11h ao pavilhão da Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced), onde ocorria o ato político com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), quando todos os convênios, assinaturas de contratos e ordens de serviço já tinham sido assinados. De certo o trânsito entre Ivinhema e Dourados estava por demais intenso.

Eminência Parda
Por outro lado, o ex-chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula, que em tese não tem mais nenhum vínculo com o governo do Estado, foi o primeiro a chegar para organizar tudo. A eminência parda do governo interferia em tudo, desde as falas do cerimonial até a ordem de discurso das autoridades presentes. Qual a função desse rapaz no governo do Estado?

Manifesto do Comércio
A coluna questionou ontem o silêncio da Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced), do Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista (Sindicom) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) diante da decisão judicial que culminou com o cancelamento do projeto “Dourados Brilha” e lembrou que, no caso da Aced, a entidade tinha a obrigação de se manifestar em defesa daqueles que pagam as mensalidades que mantém a entidade em funcionamento.

Reação das Entidades
No final da tarde, Aced, Sindicom e CDL divulgaram nota conjunta marcando posição em relação ao assunto, a saber: as entidades que representam o setor empresarial de Dourados lamentam o cancelamento do Dourados Brilha, evento que nos últimos anos contribuiu sobremaneira para atrair consumidores à cidade na melhor época de vendas para o comércio.

Comércio Prejudicado
Segue a nota das entidades em relação ao cancelamento do Dourados Brilha: a preocupação é que sem os atrativos haja menos motivação para que os douradenses e visitantes de outras cidades da região prestigiem o comércio local. Isso pode provocar redução nas vendas e, consequentemente, no giro econômico proporcionado ao município.

Queda nas Vendas
Aced, Sindicom e CDL ressaltam ainda na nota: vale lembrar que entre janeiro e outubro deste ano houve uma queda de 30% no volume de pedidos de informações ao SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), o que indica um número menor de consumidores que foram às compras. Diante deste cenário, as vendas de Natal se tornam ainda mais importantes para os lojistas.

Atrativo no Comércio
As entidades alertam ainda: além disso, entendemos que o movimento de douradenses e visitantes da região para prestigiar a programação é uma oportunidade para as manifestações artísticas e culturais, proporcionando a valorização da cultura regional. Para as famílias, e, especialmente para as crianças que assistiam e se apresentavam, o lúdico da festa ajuda a manter viva a imagem do Natal.

Espírito Natalino
Sem “Dourados Brilha” os presidentes das entidades passam a missão de decorar o comércio para os comerciantes, como finaliza a nota: diante do exposto, a Aced, CDL e Sindicom pedem aos lojistas que deixem suas vitrines ainda mais atrativas, para que o nosso comércio contribua para deixar a cidade mais bonita e manter vivo o espírito natalino. Que juntos, consigamos manter viva a mensagem de paz, amor, fraternidade e união que a data proporciona com a vida que se renova no Natal.

Nota Chapa Branca
Não precisa ser expert em comunicação para constatar que Aced, CDL e Sindicom tiveram uma postura chapa branca na nota oficial. Não há uma única crítica ao fato de a Prefeitura de Dourados não ter se planejado para realizar o “Dourados Brilha”, assim como fez por seis anos consecutivos a então primeira-dama Cecília Zauith.

Faltou Planejamento
A Prefeitura de Dourados não pode alegar falta de know-how na busca de patrocínio para a decoração natalina, as apresentações artísticas e culturais e para o lazer das crianças na pista de patinação no gelo, já que a atual secretária de Comunicação, Elizabeth Salomão, que também é presidente da Aced, foi a fiel escudeira de Cecília Zauith na captação de recursos da iniciativa privada para o “Dourados Brilha”.

Promessa Marisvaldiana
Leitor atento entrou em contato com a coluna ontem lembrando que ainda em dezembro do ano passado, quando se deparou com o derradeiro “Dourados Brilha” da gestão Murilo Zauith, o então vice-prefeito eleito Marisvaldo Zeuli garantiu que o verdadeiro “Dourados Brilha” seria realizado já neste primeiro ano de governo Délia Razuk. Pelo jeito, a Mãe Dináh falhou na previsão que fez a pedido do vice. Espia só!

Ardidas
• Será que depois que assinou as ordens de serviço para o recapeamento das avenidas Marcelino Pires, Weimar Torres, Joaquim Teixeira Alves e Hayel Bon Faker, o governador Reinaldo Azambuja voltou para Campo Grande e levou junto os maquinários que enfeitavam o centro comercial na manhã de sexta-feira? Hoje pela manhã não havia uma única máquina ou operário trabalhando nas obras que serviram, inclusive, de cenário para vereadores e demais autoridades gravarem vídeos comemorando o início do recapeamento destas importantes vias de Dourados.

• Por falar em governo do Estado, quando será que alguma autoridade de segurança pública vai se manifestar sobre a penosa situação da Polícia Militar Ambiental (PMA) em Dourados? A coluna tem alertado que a corporação responsável por fiscalizar e impedir crimes ambientais em mais de 30 municípios da região estão totalmente sucateada, sem viaturas, efetivo e condições de trabalho, mas até o momento nenhuma autoridade civil ou militar se pronunciou sobre o problema. Fica, mais uma vez, o apelo para que o governo olhe com mais atenção para a valorosa Polícia Militar Ambiental.

• O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mantém engavetados nada menos que 25 pedidos de impeachment protocolados na Casa contra o presidente Michel Temer (PMDB), sendo que o primeiro dele chegou à Câmara há exatamente um ano. De acordo com informações do jornal O Globo, já foram apresentados 26 pedidos contra Temer. Mas um deles, o único arquivado até agora, foi apresentado em fevereiro e teve como alvo Temer, os “11 Ministros do STF, Ministros de Estado, Procurador-Geral da República, Governadores, Prefeitos, Vereadores, OAB e demais gestores públicos que desonram o Código de Ética da Magistratura”.

• O regimento da Casa diz que cabe ao presidente da Câmara efetuar juízo preliminar de admissibilidade das denúncias por crime de responsabilidade contra o Presidente da República. Somente após sua decisão, caso aceite o pedido de impeachment, é que o caso segue o trâmite de análise pelo Congresso. Dos 25 que ainda aguardam decisão, um foi protocolado pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia. O pedido da entidade foi protocolado na Câmara no dia 25 de maio deste ano, após divulgação das denúncias contra Temer realizadas no âmbito das delações da JBS.

CORPAL
VIA MAX
Luau Indaiá-SAFETY

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS