Banner São Bento

Secretário de Saúde não faz nada e Centro Homeopático continua abandonado

compartilhe:

Malagueta – 5/12

Incompetência na Saúde

A gestão da Secretaria Municipal de Saúde de Dourados tem feito um esforço tremendo para ser ruim de serviço. Veja essa: nos primeiros meses do ano, atendendo pedido da vereadora Daniela Hall (PSD), o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) garantiu uma emenda impositiva no valor de R$ 400 mil para reforma e revitalização do Centro Homeopático de Dourados e para receber o dinheiro o competente Renato Vidigal só precisaria cadastrar a proposta de convênio junto ao Ministério da Saúde. Passados 7 meses, a proposta ainda não havia chegado ao Fundo Nacional de Saúde, o que motivou a cobrança do parlamentar já que os recursos poderiam se perder pela incompetência do gestor. Depois de cobrado, o secretário municipal de Saúde mandou algum DGA cadastrar a proposta, o que ocorreu em 28 de novembro de 2017, mas acredite, todo processo foi feito de forma errada e agora o município corre o risco de perder os recursos para reformar o Centro Homeopático de Dourados, um dos primeiros em todo o país a prestar atendimento nessa especialidade por intermédio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Proposta Errada

O aspone da Secretaria Municipal de Saúde precisava apenas preencher um formulário para cadastrar a proposta de reforma do Centro Homeopático e garantir o empenho dos R$ 400 mil. Mas a preguiça foi grande. No espaço reservado para Justificativa de Mérito o DGA incluiu um texto de 30 linhas apontando os problemas na estrutura do prédio e o que precisaria ser feito para corrigí-los.

Justificativa Técnica

No espaço reservado para a Justificativa Técnica da obra, o DGA simplesmente copiou e colou o texto da Justificativa de Mérito, sem alterar nenhuma vírgula ou adicionar qualquer informação relevante para o projeto. Ou foi muita preguiça, ou o servidor fez a caca de propósito para impedir o credenciamento em retaliação ao autor da emenda.

Cronograma Técnico

No espaço reservado para o Cronograma Físico da obra de reforma e revitalização do Centro Homeopático de Dourados, o competente aspone teve o descaramento de, de novo, copiar e colar o mesmo texto que havia inserido nos itens anteriores, sem mudar uma única palavra. Até parece coisa mandada!

Plano de Aplicação

Quando chegou a vez de explicar o Plano de Aplicação dos recursos garantidos para a reforma, o DGA manteve a coerência e simplesmente copiou e colou o mesmo texto das etapas anteriores. É claro que o convênio com o Fundo Nacional de Saúde não foi concluído e agora a equipe do autor da emenda trabalha para tentar salvar junto ao Ministério da Saúde os R$ 400 mil que já estavam garantidos.

Promessa do Secretário

O detalhe é que o mesmo secretário que não consegue cadastrar um projeto no Ministério da Saúde, concedeu entrevista à rádio 94FM, em 13 de junho de 2017, jurando que o Centro Homeopático de Dourados ficaria fechado por um período máximo de seis meses, tempo suficiente para ser reformado e voltar a atender o público. Os seis meses se passaram e o prédio está abandonado.

Salários Atrasados

Os servidores estaduais que correram ao banco hoje para sacar o salário de novembro devem ter sentido uma saudade tremenda do ex-governador André Puccinelli. O italiano passou 8 anos pagando o funcionalismo antes da virada do mês, mas o atual governo está fazendo malabarismo para conseguir pagar até o dia 5. Ainda assim, a imprensa oficial distribuiu release jurando que Reinaldo Azambuja vai pagar três folhas salariais em dezembro: pagamento de novembro, 13º salário e pagamento de dezembro. Será?

Vigilante Pianinho

As atenções estavam todas voltadas para o vigilante e fiscalizador vereador Cirilo Ramão durante a sessão ordinária de ontem, já que seria a primeira vez que o combativo ex-chefe de Gabinete do então vereador-uragano Paulo Henrique Bambu, iria falar após ter insinuado ilegalidades na licitação da agência que vai cuidar da Comunicação da Câmara de Vereadores. Contudo, o valente parlamentar fez um discurso bem mais ou menos e, ao fim da fala, quase pediu desculpas pelos arroubos. Espia só!

Décimo na Câmara

Por falar em Câmara Municipal de Dourados, um grupo de vereadores anda se articulando para cobrar da Mesa Diretora alguma medida que possibilite aos nobres representantes do povo o recebimento de 13º salário. Como o duodécimo constitucional está sendo suficiente para cobrir as despesas do legislativo e ainda devem ser devolvidos uns R$ 7 milhões ao Executivo, tem vereador defendendo um extra de R$ 12.661,13 para as festas de fim de ano. Não faltava mais nada!

Reação do Vereador

O vereador Madson Valente (DEM) reagiu à nota publicada na Malagueta ontem dando conta que o projeto que ele apresentou para garantir acessibilidade às crianças com deficiência nos parques infantis de Dourados poderia ser vetado, mesmo se fosse aprovado pela Câmara de Vereadores. Madson é hoje um dos principais críticos do atual governo e tem sido prejudicado na Câmara por isso.

Sem Justificativa

Para Madson é prematuro falar em veto da proposta pelo Executivo Municipal. “Não quero acreditar que minha independência como vereador será descontada em crianças especiais que precisam de acessibilidade nos parques infantis”, desabafou. “Ademais, acessibilidade é um direito constitucional de todo cidadão e não haverá justificativa técnica para barrar essa Lei”, concluiu.

IPTU da Maldade

A equipe de governo da prefeita Délia Razuk (PR) anda fazendo de tudo para piorar o que já está ruim. Agora mandaram um Projeto de Lei para a Câmara de Vereadores acabando com a isenção de IPTU pelo prazo de 5 anos nos chamados loteamentos populares. A ideia é elevar a arrecadação do município, já que as famílias carentes só começavam a pagar IPTU depois de 5 anos de lançamento do empreendimento.

Maldade no IPTU

Com isso, o pobre que comprar um terreno na esperança de construir a casa própria, terá que desembolsar dinheiro do IPTU no segundo ano de aprovação do loteamento. Funciona assim: a prefeitura não ajuda com o fornecimento de projeto técnico, de creches e escolas para os bairros, mas se preocupa em criar meios de cobrar o IPTU mais cedo. Espia só!

Ardidas

• A Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) precisa chamar para um tête-à-tête a empreiteira responsável por tapar as valetas toda vez que a estatal abre uma valeta para reparos na rede de água em Dourados. O serviço que a contratada está fazendo precisa melhorar muito para ficar ruim e, mais grave, tem bairro que acabou de ser asfaltado e já está cheio de remendos mal feitos. Se alguém na Sanesul duvida do alerta feito pela coluna, que se digne a pegar um carro e seguir para o Jardim João Paulo II ou passar pela região do Parque Nova Dourados, onde a empresa está concluindo obras importantes na área de saneamento.

• Por outro lado, fica a sugestão para que a Prefeitura de Dourados faça valer seu poder concedente e cobre da Sanesul melhor qualidade pelos serviços que são feitos nas ruas asfaltadas de Dourados. A péssima qualidade dos reparos é motivo mais que suficiente para quebra do contrato de concessão, com o município ficando livre para entregar os serviços de saneamento básico e distribuição de água potável a alguma empresa da iniciativa privada que tenha interesse em atender melhor a população douradense. O que não pode é o poder público asfaltar um bairro e a Sanesul vir atrás abrindo os buracos que não são reparados com a mesma eficiência. Vai vendo!

• Em tempo de economia de recursos públicos pela Prefeitura de Dourados, o vereador Marçal Filho (PSDB) está defendendo a substituição das lâmpadas convencionais das vias e dos logradouros públicos de Dourados por lâmpadas de LED, o que representaria economia em razão de as lâmpadas de LED durarem aproximadamente 25 vezes mais do que as incandescentes e três vezes mais que as fluorescentes. “Muitas cidades no País e no Mato Grosso do Sul têm adotado o uso de LED. Trata-se de uma tendência que traz inúmeros benefícios aos cofres públicos, à população e ao meio ambiente”, defende Marçal Filho.

• Por falar em iluminação pública, o competente Joaquim Soares precisa mandar a equipe da Semsur passar pela Marcelino Pires para constatar in loco a escuridão em alguns pontos da avenida. A coisa começa a ficar preta depois da Fiat, onde diversos superpostes estão com as lâmpadas apagadas. Após o Monumento aos Colonos, já no prolongamento da Marcelino Pires, a escuridão também é abissal em diversos pontos. Certamente, o atento e prestativo Quincas vai solucionar o problema!

CORPAL
VIA MAX
Luau Indaiá-SAFETY

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS