Diário MS
Get Adobe Flash player

Saída da Disney de catálogo dá prejuízos para a Netflix

QUEDAS nas ações para a gigante de streaming superaram os US$ 2 bilhões em perdas em menos de 24 horas após anúncio feito pelo “estúdio do Mickey”

 

InfoMoney

Divulgação

Detentora dos direitos de franquias importantes como “STAR WARS”, Disney vai tirar os filmes e séries disponíveis na concorrente Netflix para o lançamento de sua plataforma de streaming, que estará online em 2019

Na noite de última terça-feira (8) uma “bomba” caiu na Netflix com a informação de que a Disney irá tirar todo o seu conteúdo da plataforma e criar seu próprio serviço de transmissão de conteúdo. A novidade bateu forte.

 

Na tarde desta quarta-feira (9), as ações da Netflix registravam queda de 2,80%, cotadas a US$ 173,36, o que representa uma perda de valor de mercado de US$ 2,159 bilhões ante o fechamento da véspera. Apesar da notícia, as ações da Disney também não têm uma sessão positiva, com queda de 3,80%, cotadas a US$ 102,82.

 

A saída da empresa do Mickey representará uma grande perda para o catálogo do serviço de vídeo sob demanda, já que a Disney, além de produtora de suas famosas animações, é detentora dos direitos de obras da Pixar, além de filmes dos super-herói da Marvel e da franquia “Star Wars”.

 

Por enquanto, a estratégia vale apenas para o mercado dos Estados Unidos. Analistas apontam que não chega a ser uma surpresa este anúncio, já que a Disney tem uma grande coleção de títulos e seria “natural” que o estúdio buscasse uma forma de lucrar mais por meio do serviço de streaming.

 

A Disney também anunciou que criará um serviço sob demanda para conteúdo da ESPN. Ao menos nos EUA, a plataforma terá cerca de “10 mil horas de conteúdo ao vivo, regional, nacional e internacional por ano”. A tecnologia para prover o conteúdo terá suporte da BAM Tech, que também serve a plataforma da HBO.