Banner São Bento

Por divergência interna, Zé Elias deixa Secretaria de Planejamento

compartilhe:

HELIO DE FREITAS

Especial para o Diário MS

 

Alegando divergências com outros setores da administração, o ex-prefeito Zé Elias Moreira deixou hoje a Secretaria de Planejamento de Dourados. É a quarta baixa no primeiro escalão da prefeita Délia Razuk (PR) em 11 meses de gestão.

Zé Elias ao lado de Délia; ex-prefeito pediu exoneração e diz que sai por não concordar com mudanças no plano de mobilidade –
Foto: Divulgação

Zé Elias, que foi prefeito de Dourados no início da década de 80, disse que pediu exoneração “em caráter irrevogável” por divergências com técnicos da Secretaria Municipal de Obras Públicas sobre o Plano de Mobilidade Urbana. A pasta é comandada por Tahan Sales Mustafa, ligado à prefeita.

“O plano elaborado na administração anterior precisa de algumas mudanças e eu não concordei com a forma que essas alterações estão sendo feitas pela Secretaria de Obras. Tem coisa que, além de aprender na faculdade, você precisa aprender na prática, precisa ter experiência, para saber se vai ou não dar certo”, afirmou Zé Elias, que é engenheiro civil.

Ele não quis dar detalhes de pontos específicos do plano de mobilidade que não tenha concordado. “É muita coisa, o plano é bem amplo. Não concordo com o jeito que as mudanças estão sendo feitas. A prefeita pediu que eu aceitasse, mas preferi pedir minha exoneração”.

Coamo

Zé Elias desmentiu informações de bastidores políticos, de que teria pedido demissão após representantes da cooperativa Coamo reclamarem dele para a prefeita. Boatos revelam que o então secretário estaria criando dificuldade para o início da construção da indústria da Coamo em Dourados. “Isso não aconteceu, pelo contrário, fiz três visitas à Coamo, não tem nenhum entrave com a prefeitura”.

Quarta baixa

Zé Elias Moreira é o quarto a assumir cargos de primeiro escalão na equipe de Délia Razuk em janeiro deste ano a deixar a prefeitura. Antes dele saíram Albino Mendes da Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde), Ralfi Marques da Secretaria de Governo e Audrey da Silva Milan Conti da Secretaria de Educação.

Albino saiu por recomendação do Ministério Público, por ele ter um filho médico que trabalha para a prefeitura. Ralfi também foi exonerado a pedido do MP, por causa dos processos em que é réu no Tribunal de Justiça de MS, alguns por corrupção. Audrey deixou a equipe alegando motivos pessoais.

 

CORPAL
VIA MAX
Luau Indaiá-SAFETY

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS