Diário MS
Get Adobe Flash player

PMA começa Operação Semana Santa com foco à prevenir a pesca predatória

FISCALIZAÇÃO | No fim de semana, foram autuados 10 pescadores por pesca ilegal e R$ 10 mil em multas aplicadas

Divulgação

POLICIAIS militares ambientais intensificaram a fiscalização em rios de Mato Grosso do Sul no final de semana

 

No final de semana, a Polícia Militar Ambiental realizou fiscalização nos rios, no intuito de prevenir a pesca predatória, visto que algumas pessoas pescam na semana anterior para consumir o pescado durante a Semana Santa, e também para verificar a localização dos cardumes em vários rios, no sentido de planejar a operação.

 

Durante a operação foram autuados 10 pescadores por pesca ilegal e R$ 10 mil em multas aplicadas. Foram apreendidos quatro motores de popa, quatro barcos de alumínio, 13 varas com carretilhas, além de petrechos proibidos – duas tarrafas e 140 anzóis de galho. Além disso, a PMA conseguiu localizar os cardumes que precisam ser monitorados durante a operação.

Devido a grande quantidade de pescadores observada, bem como a alguns grandes cardumes, que seguem se alimentando de peixes pequenos em alguns rios, a PMA resolveu antecipar a operação que começaria nesta quarta-feira (12) e iniciou ontem, ao meio-dia a “Operação Semana Santa”, que segue até 8h de segunda-feira (17), contando com 310 homens.

A fiscalização foi intensificada desde a sexta-feira passada. A partir de ontem, a fiscalização será intensificada ainda mais, em razão do feriado sexta-feira (14) e pontos facultativos no Estado e em alguns municípios na quinta-feira (13), não só pelo feriado, mas também devido à tradição religiosa de se consumir peixe durante a Semana Santa, o que faz com que o número de turistas de fora e do Estado aumente significativamente nos rios e a fiscalização precisa estar presente no intuito de se prevenir a pesca predatória, especialmente, onde estão concentrados os principais cardumes.

Os comandantes das 25 subunidades da Polícia Militar Ambiental estarão intensificando a fiscalização em suas respectivas áreas, utilizando, inclusive, o efetivo administrativo. Serão desenvolvidas também barreiras e combate ao desmatamento e carvoarias irregulares, extração e transporte de madeira e carvão ilegais e outros crimes contra a flora; caça, tráfico de animais e outros crimes contra a fauna, bem como o transporte de produtos perigosos e os crimes de poluição e outros crimes ambientais, bem como trabalhos preventivos com visitas preventivas às propriedades rurais.

Equipes da sede (Campo Grande) estarão itinerantes, em áreas mais críticas, fiscalizando todos os tipos de crimes e infrações ambientais e duas equipes reforçam o efetivo de Corumbá e Coxim.

O Posto Avançado localizado na Cachoeira do Sossego, no rio Aquidauana, em Rochedo (MS), montado durante a piracema, e que tem permanecido funcionando há cinco anos, em razão do alto índice de pesca predatória na região, também será reforçado.

 

OPERAÇÃO PASSADA

Como na operação passada, a PMA espera que esta seja tranquila. No ano passado foram apreendidos somente 163 kg de pescado e, mesmo assim, 121 kg eram de pescado morto em redes de pesca retiradas durante a operação. Foram 17 autuados por infrações ambientais, sendo 15 autuados pela infração de pesca ilegal. Destas, três pessoas foram presas por pesca predatória e 12 foram autuadas por pescar sem licença, o que não é crime, mas somente infração administrativa. As multas chegaram a R$ 18.320,00.

Com relação aos petrechos de pesca proibidos na operação de 2016, as apreensões de redes de pesca se destacaram, com 38 redes apreendidas, que mediram 4 km ao todo.