• Início
  • Notícias
  • Argentino é pego no doping e brasileiro deve herdar bronze do Pan de Lima

Baiano finalizou a maratona aquática em Lima no quarto lugar

Argentino é pego no doping e brasileiro deve herdar bronze do Pan de Lima

Por Juliano Justo
Agência Brasil
Imagem: Satiro Sodré/Divulgação
O nadador baiano Victor Colonese deve herdar o bronze na prova da maratona aquática (10 quilômetros) dos Jogos Pan-Americanos de Lima do ano passado. O brasileiro, que havia finalizado originalmente a prova em quarto lugar, foi beneficiado com a decisão da Federação Internacional de Natação (FINA) de punir o argentino Guillermo Bertola por dopping e retirar a medalha de prata do nadador.
No domingo (7), Bertola disse ao jornal argentino Mundo D que ficou muito triste e desiludido quando ficou sabendo da punição. Ainda, conforme o publicação argentina, a sanção já chegou à Confederação de Natação do país vizinho (CADDA). Um dirigente do órgão disse ao jornal que o nadador recebeu a pena máxima, ou seja, suspensão de janeiro de 2020 a janeiro de 2024, além de perder todos os resultados esportivos e financeiros obtidos entre 2018 a 2019. Bertola foi punido por ter feito uma transfusão sanguínea em 2018; ação que, se ocorrer sem o acompanhamento médico, é considerada ilegal. Na mesma matéria do jornal Mundo D, o argentino confirmou que realizou esse procedimento em 2018 antes da travessia Santa Fé / Córdoba, na Argentina.
O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), contatados pela Agência Brasil, disseram que ainda não foram notificados oficialmente pela FINA.
Originalmente, a prova em Lima no ano passado foi vencida pelo equatoriano Esteban Enderica. Bertola foi o segundo e Taylor Abbott, dos Estados Unidos, tinha ficado em terceiro. O brasileiro Victor Colonese chegou na quarta colocação apenas um segundo atrás de Abott. Com a punição, o americano herdará a prata e o brasileiro receberá o bronze.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados