Neidy Nunes Barbosa Centurião é a primeira mulher a conquistar o posto de coronal da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul

Polícia Militar de MS tem primeira mulher coronel

Imagem: Saul-Schramm
Cumprindo o compromisso firmado com os servidores públicos de Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja publicou no Diário Oficial do Estado de ontem, promoções retroativas de 425 servidores da segurança pública.
Das carreiras militares, no Corpo de Bombeiros Militar 2 tenentes coronéis foram promovidos a coronéis e 2 majores foram promovidos a tenentes-coronéis.
Já na Polícia Militar ao todo foram 37 promoções de oficiais, sendo uma coronel, 3 tenentes-coronéis, 7 majores, 1 capitão e 26 primeiros tenentes.
A maior promoção aconteceu na Polícia Civil, ao todo 384 servidores, sendo 13 delegados, destes 10 promovidos a classe especial e 3 para a primeira classe, 16 escrivães – 14 para a classe especial e 2 para a segunda classe, 311 investigadores, sendo 185 promovidos a classe especial e 126 para a segunda classe.
Das carreiras da Polícia Civil também foram promovidos 32 servidores da Coordenadoria Geral de Perícias, sendo um perito criminal e 10 peritos papiloscopistas promovidos à classe especial, 20 peritos papiloscopistas e um agente de polícia científica que estavam na terceira classe foram promovidos à segunda classe.
Também foram promovidos na condição subjudice 12 delegados, sendo todos da segunda para a terceira classe. As promoções são retroativas a 2019 e com a publicação os servidores recebem todos os atrasados. As listagens com a relação dos servidores promovidos estão publicadas da página 106 a 124 do Diário Oficial do Estado.
1ª coronel
A coronel Neidy Nunes Barbosa Centurião é a primeira mulher a conquistar o mais alto posto da Polícia Militar. Nascida em Coxim e criada em Costa Rica, Neidy entrou na Polícia com 17 anos, quase três décadas atrás. Emocionada, ela relata que pautou sua carreira na educação e bom atendimento a todos, tanto aos policiais militares quanto ao cidadão.
"Sempre tentei fazer o máximo que pude para honrar tanto minha farda quanto meu Estado. A minha luta de trabalho foi construída, aprendi de família que é trabalhando que a gente vence. É claro que a instituição te ensina muita coisa, te mostra muita coisa, te treina para muita coisa, mas as orientações de berço, elas estão ali arraigadas no meu ser", descreve.
Como coronel, Neidy faz questão de enaltecer o trabalho feito por mulheres precursoras na carreira. Atualmente, são 551 mulheres na ativa na Polícia Militar e outras 189 na reserva.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados