• Início
  • Notícias
  • Felipe Neto foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do mundo

Felipe Neto foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do mundo

O youtuber Felipe Neto foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do mundo pela revista norte-americana Time. A lista de 2020, divulgada nessa 3ª feira (22.set.2020), tem também o nome do presidente Jair Bolsonaro, que já tinha feito parte do ranking de 2019. Veja a lista completa aqui.
 
Felipe foi incluído na categoria “Ícones“. O perfil feito pela Time, escrito pelo deputado federal David Miranda (Psol-RJ), o descreve como “o influenciador digital mais importante no Brasil, possivelmente no mundo”.
O canal de Felipe no YouTube tem 39,5 milhões de subscritores. Mais de 12 milhões de pessoas o seguem no Twitter.
“O domínio on-line de Neto não é novo. Uma década atrás, da humilde casa de sua família no Rio de Janeiro, ele começou a criar conteúdo para o YouTube e rapidamente encontrou fama“, escreve David. “O que mudou – radicalmente – é a forma como Neto usa sua plataforma.”
O texto relata como Felipe Neto, desde a eleição presidencial de 2018, tem usado sua notoriedade e visibilidade para criticar o governo de Jair Bolsonaro. “Neto encontra Bolsonaro nas próprias plataformas de mídia social em que o presidente navegou habilmente para divulgar informações falsas e ganhar seguidores durante sua eleição.”
“Quando Felipe Neto fala, milhões ouvem. E sua voz agora justa e politizada ressoa poderosamente em 1 país cuja democracia está em perigo”, finaliza o congressista.
JAIR BOLSONARO PELA 2ª VEZ NA LISTA
O presidente Jair Bolsonaro foi incluído na categoria “Líderes“, ao lado dos presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping.
texto sobre Bolsonaro foi escrito por Dan Stewart, editor da seção internacional da Time. Segundo ele, “a história do ano no Brasil pode ser contada em números”. O jornalista destaca alguns: “137 mil vidas perdidas para o coronavírus. A pior recessão em 40 anos. Pelo menos 5 ministros demitidos ou que pediram demissão. Mais de 29.000 incêndios na floresta amazônica somente em agosto”.
Bolsonaro é apresentado como “1 presidente cujo ceticismo teimoso sobre a pandemia e indiferença à espoliação ambiental elevou todos esses números”.
O editor destaca que a popularidade de Bolsonaro é alta, “apesar de uma tempestade de denúncias de corrupção e 1 dos maiores índices de mortes por covid-19 no mundo”. Stewart diz que a aprovação do presidente é consequência, em parte, dos pagamentos do auxílio emergencial durante a pandemia.
O jornalista ressalta ainda o fato de Bolsonaro ter conquistado “seguidores fervorosos”. “Para sua base, ele simplesmente não erra. É o resto do Brasil, e do mundo, que sobra para contabilizar os custos.”
 
 

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados