• Início
  • Notícias
  • Com indígena na disputa pela 1ª vez, Dourados tem 7 candidatos a prefeito

Com indígena na disputa pela 1ª vez, Dourados tem 7 candidatos a prefeito

Por Da Redação
Alan Guedes, Racib, Barbosinha, João Carlos, Jeferson Bezerra, Wilson Matos e Mauro Thronicke disputam eleição
 
O prazo para registro das candidaturas na Justiça Eleitoral termina no dia 26, sábado da semana que vem. Se os resultados das convenções forem cumpridos, Dourados terá sete postulantes ao cargo ocupado desde janeiro de 2017 pela prefeita Délia Razuk (sem partido).
Alan Guedes (PP), Racib Harb (Republicanos), José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), João Carlos (PT), Jeferson Bezerra (PMN), Wilson Matos (PTB) e Mauro Thronicke (PSL) são os nomes homologados nas convenções, cujo prazo terminou quarta-feira, para disputar a eleição, adiada para 15 de novembro por causa da pandemia do novo coronavírus.
 
PP/PL
Primeiro candidato aprovado em convenção, o atual presidente da Câmara de Vereadores, Alan Guedes, terá como candidato a vice o médico Carlos Augusto Moreira, o doutor Guto. Amigos de infância, Alan e Guto formam a chapa mais jovem da eleição, com 34 e 37 anos, respectivamente.
Guto foi indicado pelo Partido Liberal. Além do PL, a chapa de Alan Guedes tem o apoio do Cidadania, do atual vice-prefeito Marisvaldo Zeuli.
Nascido em Dourados, Guto é especializado em cirurgia plástica e casado com a anestesista Dulce Moreira. Durante quase nove meses, em 2017, foi secretário-adjunto de Saúde na cidade e deixou o cargo para se dedicar a compromissos profissionais.
Apesar do curto período, o médico afirma ter adquirido experiência em saúde pública diante do trabalho técnico e administrativo que desempenhou.
“Tenho muito para dizer e para fazer. Vou ser o primeiro a acordar e o último a dormir. Estou pronto para palmilhar essa cidade. Servi Dourados como professor, como advogado, como vereador e quero continuar servindo Dourados como prefeito. Dourados merece prefeito que ama a cidade, que tem tudo aqui”, afirmou Alan Guedes.
 
REPUBLICANOS
O partido Republicanos, segundo a homologar candidatura, terá chapa pura na disputa. O empresário e farmacêutico Racib Harb disputa tendo como prioridade promover gestão eficiente, com foco no combate à corrupção. A candidata à vice é a instrutora de trânsito Dilvânia Todescato. Ambos nunca exerceram cargo eletivo.
“A decisão de disputar eleição não é tão simples. Pra mim exige extremo compromisso com a confiança dos milhares de eleitores douradenses. E eu só aceitei porque também faço parte daqueles que estão cansados de ver a administração ser conduzida por gente de má fé”, afirmou Racib.
 
DEM/PSDB
Barbosinha, do DEM, tem como candidato a vice o ex-deputado estadual Valdenir Machado, indicado pelo PSDB. “Eu sonho com uma Dourados cosmopolita, resultado da miscigenação proveniente da mistura das raças que para essa rica região foram atraídas ainda por conta do surgimento da Colônia Federal do grande brasileiro Getúlio Vargas”, afirmou Barbosinha, na convenção que homologou sua candidatura.
Ele saudou Valdenir Machado. “É o Valdenir de ficha limpa, nunca teve seu nome envolvido em nada, conhece os políticos e as pessoas, será o grande conselheiro da nossa caminhada, ele se rejuvenesce nesse projeto”.
 
PT
Assim como o Republicanos, o PT terá chapa pura na disputa pela Prefeitura de Dourados. O candidato a prefeito, professor João Carlos, tem como vice Lourdes Castro de Oliveira Kurttert.
Quilombola e trabalhadora na agroecologia, Lourdes assumiu compromisso na defesa das mulheres para que tenham melhores condições de vida.
João Carlos lembrou da importância de vários membros em sua trajetória no PT, que teve início em 1983. E disse ter aprendido com o educador Paulo Freire que o diálogo é fundamental para um líder político. Sobre o momento da cidade, citou o "descaso em que se encontra Dourados" e apontou a necessidade de plano emergencial para atender a população.
 
PMN
Também com chapa pura, o PMN (Partido da Mobilização Nacional) oficializou a candidatura a prefeito do jornalista Jeferson Bezerra e Messias como vice. “Não temos os recursos que os poderosos têm para enfrentar embate eleitoral, mas temos o entendimento daquilo que é melhor para o povo simples e humilde como nós. Seremos o marco na campanha eleitoral de Dourados e conseguiremos levar nossas ideias para o povo avaliar e decidir pelo melhor para a cidade”, afirmou Jeferson Bezerra.
Segundo ele, a intenção é mostrar a verdade das demais candidaturas e quais os verdadeiros interesses por trás delas. “Vamos desmascarar as pessoas que não querem o bem de Dourados”.
 
PTB/PDT
O PTB terá o primeiro candidato indígena a disputar a Prefeitura de Dourados. A candidatura do advogado Wilson Matos da Silva foi homologada na convenção da legenda trabalhista quarta-feira.
Ex-assessor de Délia Razuk, Wilson Matos tem 59 anos de idade e milita na defesa dos povos indígenas de Dourados. De etnia terena, ele mora na Aldeia Jaguapiru, que junto com a Bororó forma a Reserva de Dourados. Wilson Matos terá o professor Léo, do PDT, como candidato a vice.
Os petebistas chegaram rachados na convenção, o que levou o líder maior do partido na cidade, o deputado estadual Neno Razuk, decidir por lançar candidatura própria à sucessão de sua mãe, a prefeita Délia Razuk.
 
PSL
O PSL tem o empresário Mauro Thronicke como candidato à Prefeitura de Dourados nas eleições deste ano. A legenda, que tem como principal cabo eleitoral a senadora Soraya Thronicke (prima do Mauro), decidiu apostar em chapa pura e terá como candidato a vice-prefeito o bancário João Fabiano Davansso.
Em recente visita ao Diário MS, Mauro disse que seu grupo vem reestruturando o partido em Dourados, tendo como meta “formar políticos novos de direita, com pensamento de liberalismo econômico e conservador nos costumes”.
O pensamento é contrário ao aborto e à violência contra a mulher e pela melhora da condição social das pessoas. “Agora o PSL é outro partido”, reforçou.
 Ressaltando que “nunca” foi político e nem disputou qualquer cargo eletivo, o agropecuarista avalia já ter cumprido seu papel de pai e, aos 54 anos de idade, se dispõe a contribuir “mais ainda” com a cidade onde mora.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados