• Início
  • Notícias
  • Helicóptero que fez pouso na fronteira é interceptado com cocaína em SP

Momento em que piloto de helicóptero era preso por policiais militares em Ibiúna

Helicóptero que fez pouso na fronteira é interceptado com cocaína em SP

Por Helio de Freitas
Campo Grande News
Imagem: Divulgação
Aeronave estava parada em Aral Moreira ontem de manhã; piloto tentou impedir fotos 
Helicóptero que fez pouso de emergência devido à forte neblina na manhã de ontem (7) na região de fronteira com o Paraguai foi apreendido à noite com 255 quilos de pasta-base de cocaína no interior de São Paulo. O piloto, que tentou impedir fotos da aeronave enquanto estava parada na Linha Internacional, foi preso.
O Campo Grande News apura o caso desde a manhã de ontem quando recebeu foto do helicóptero marca Robinson prefixo PR-OLE parado perto de uma estrada, no município de Aral Moreira, a 364 km de Campo Grande, uma das bases do crime organizado que age na fronteira. 
À tarde, o mesmo helicóptero foi visto parado em uma área rural de Piedade, na região metropolitana de Sorocaba, interior de São Paulo. O dono da propriedade gravou vídeo do helicóptero e assim como os moradores da fronteira, recebeu ordem do piloto para não fazer imagens da aeronave. 
Informada sobre a presença suspeita do helicóptero, policiais militares foram para o local, mas o piloto conseguiu decolar antes da chegada da polícia. Em uma mata próxima, os PMs encontraram os 255 quilos de pasta-base de cocaína divididos em 255 tabletes.
 
A PM iniciou monitoramento em toda a região para encontrar o helicóptero. Já no início da noite, os policiais foram informados que aeronave com as mesmas características voava baixo procurando local para pousar e depois parou no terreno do hospital de campanha de Ibiúna, a 30 km de Piedade.
 
Conforme a polícia paulista, quando as equipes chegaram o piloto tentava deixar o local, mas foi preso. Ele estava com dois celulares, uma mochila com o GPS da aeronave e R$ 1.200 em dinheiro.
 
O homem, que teve apenas as inicias W.B. divulgadas, ficou em silêncio. Morador em Goiânia (GO), ele foi conduzido até a delegacia da Polícia Federal em Sorocaba e autuado em flagrante por tráfico internacional. Segundo a Polícia Militar, a carga de pasta-base foi avaliada em R$ 10,2 milhões. Já o helicóptero vale pelo menos R$ 1,2 milhão.
 
Consulta feita ao site JusBrasil mostra processo envolvendo o mesmo helicóptero na 8ª Vara Criminal de Brasília. A ação para apreensão da aeronave tinha sido movida pelo ex-dono contra o novo proprietário por falta de pagamento.
 
Em 10 de agosto de 2018, as partes fizeram acordo na audiência de conciliação e a Justiça determinou a suspensão do mandado de busca e apreensão do helicóptero. 
 

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados