• Início
  • Notícias
  • Como trabalhar a ansiedade dos pais para que eles ajudem seus filhos nos estudos?

Como trabalhar a ansiedade dos pais para que eles ajudem seus filhos nos estudos?

Imagem: Divulgação
Quarentena exige criatividade e paciência
 
Fazer home office, cuidar da casa e orientar os filhos na nova rotina de estudos, que contemplam vídeoaulas diárias, é algo desafiador, mas não impossível. Com o propósito de auxiliar os pais que estão ansiosos e meio perdidos, a psicóloga Luisa Geambastiane, do Elite Rede de Ensino, preparou uma série de 11 dicas:
 
- Converse com seu filho(a) sobre seus sentimentos. Ele(a) precisa saber que você também sente as mesmas coisas que ele. Esse tipo de diálogo gera acolhimento e sensação de pertencimento (mais alguém além dele sente o mesmo).
- Elimine hábitos e ingestão de bebidas que estimulem sua ansiedade: álcool, cafeína, refrigerantes, nicotina, falta de atividade física, excesso de uso de telefone e gastos desnecessários. Cuide de você investindo em chás, meditação, consumo consciente e aproveitando o tempo livre com atividades que sejam prazerosas e relaxantes.
- Uma mesa organizada ajuda a concentração para trabalhar e estudar, então nada de muitos papéis, livros e canetas espalhadas que não estejam sendo utilizadas naquele momento. Deixe somente o que vai ser usado.
- Utilizem juntos métodos de concentração com intervalos. Existe um método chamado pomodoro que consiste em você concentrar toda sua energia em realizar aquela tarefa por algum período de tempo, dar uma pausa e logo em seguida retornar. Tentem 25 minutos focado e cinco minutos de intervalo. Existem aplicativos que podem te ajudar, mas o próprio cronômetro do celular pode ser uma ferramenta também.
- Construam recompensas para ambos ao final das atividades. Elas podem ser desde cozinhar o prato favorito, jogar um jogo novo ou dormir um pouco mais tarde, até alguma coisa que irão fazer juntos quando o distanciamento social terminar. E aí vale até criar uma lista de recompensas que deverão ser “pagas” quando as coisas retornarem à “normalidade”.
- Crie uma rede de apoio. Converse com outros pais, com amigos e vizinhos, saber que eles também estão sentindo e passando pelas mesmas coisas, traz conforto e pode te dar algumas ideias novas sobre como lidar com a situação.
- Tire um momento do dia para extravasar. Seja se exercitando, desenhando, tocando um instrumento musical ou dançando, mas encontre uma forma de colocar para fora o que você vem sentindo, a fim de se manter equilibrado.
- Descanse! Aproveite, por exemplo, o tempo que você usava se deslocando para o trabalho ou voltando dele para descansar um pouco.
- Faça terapia. A maioria dos profissionais está realizando atendimentos de maneira on-line. Então, se você fazia e parou ou se ainda não encontrou nenhum, saiba que os psicólogos também estão utilizando ferramentas digitais para dar suporte nesse momento.    
- Aceite que você está ansioso (a). Isso irá diminuir suas brigas com você mesmo(a). Nesse período de incertezas e imprecisões está tudo bem ficar preocupado(a), mas infelizmente não há nada que possa ser feito além de aguardar, manter os cuidados e permanecer em casa.
- Enquanto a vida não se reorganiza do lado de fora e é necessário ficar dentro de casa, cuide de você e respeite o que você sente.

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados