Campanha de vacinação contra a gripe foi antecipada para março e termina hoje em Dourados sem cumprir a meta

Vacinação contra gripe termina hoje sem alcançar a meta

Imagem: Divulgação
Cobertura é baixa entre grupos formados por índios gestantes, crianças e mulheres até 45 dias após o parto
 
Quando a campanha nacional de vacinação contra a gripe começou, em março, antecipada por causa da pandemia do novo coronavírus, houve corrida pela vacina nas unidades de saúde e nos postos volantes. Em Dourados, doses que seriam aplicadas em uma semana acabaram em duas horas.
Entretanto, no dia de encerramento da campanha em todo o país, os números mostram que apenas idosos e profissionais de saúde se preocuparam em se imunizar. A vacina não protege contra o novo coronavírus, mas impede que pessoas de grupos de risco tenham quadros mais graves de gripe, evitando, assim, que precisem procurar atendimento médico.
Balanço parcial divulgado ontem pelo núcleo de imunização da Secretaria de Saúde mostra que em Dourados a campanha superou a meta apenas entre idosos e profissionais de saúde. Em média, das 72.727 pessoas que a Saúde pública esperava vacinar contra a gripe em todo o município, 56.637 receberam a vacina, o que significa cobertura de 77,88%.
Entre as pessoas acima de 60 anos, foram 22.490 doses, 4.259 a mais que a meta inicial. Já entre os profissionais de saúde foram 8.193 vacinados, 648 doses acima do esperado.
Já entre os demais grupos prioritários, a vacinação não atingiu a meta. Só 61,80% das 17.910 crianças de seis meses até cinco anos foram vacinadas. Entre as gestantes, menos da metade da meta de 2.918 pessoas recebeu a vacina.
Das 480 mulheres até 45 dias após o parto, 253 foram vacinadas. Entre a população indígena, a cobertura foi ainda menor. Do público-alvo de 17.335 pessoas, 8.181 receberam a vacina, o que representa 47,19% de cobertura. Entre os adultos de 55 a 59 anos, a cobertura foi de 60%.
O gerente do núcleo de imunização, Edvan Marcelo Marques, disse que até não há informação se a campanha será novamente prorrogada pelo Ministério da Saúde, como ocorreu em maio. Ele pediu que os integrantes dos grupos de risco ainda não vacinados procurem as unidades de saúde para receber a dose ainda hoje.
As doses estão disponíveis nas unidades de saúde. As exceções são os postos da Vila Cachoeirinha, da Vila Índio e do Jardim Santo André. Por causa da pandemia, essas três unidades atendem apenas casos de srag (Síndrome Respiratória Aguda Grave).

Faça um comentário

Último boletim da Prefeitura de Dourados