Diário MS
Get Adobe Flash player

Mais Médicos abre inscrições para profissionais brasileiros

394a6bfa-1e5f-4310-bc86-c4bce903bbb1Divulgação

O Programa Mais Médicos abriu inscrições para cerca de 1,2 mil vagas do novo edital, voltadas a profissionais brasileiros. Interessados devem se inscrever até 4 de janeiro no site do sistema do Programa.

Interessados devem submeter a documentação exigida no edital, como cópia do diploma e do registro profissional, certidão negativa de antecedentes criminais, entre outros. O resultado das inscrições validadas está previsto para 9 de janeiro.

Nesta fase, os médicos devem apenas realizar inscrição. Em 10 e 11 de janeiro, eles poderão selecionar os locais de preferência. As vagas são distribuídas em 563 municípios e dois distritos indígenas (DSEIs). Confira aqui o cronograma da seleção.

Os profissionais serão alocados nas vagas de acordo com critérios de classificação, como detenção de título de especialista e experiência na área de Saúde da Família.

O edital conta com uma novidade: aqueles que estiverem insatisfeitos com a alocação, poderão trocar o local de trabalho com outro médico que tenha interesse.

Após a lotação, os médicos devem confirmar o interesse nas vagas e seguem então para os municípios, onde iniciam as atividades nas unidades básicas a partir de fevereiro.

Substituições e reposições

Das oportunidades ofertadas, 708 estão atualmente ocupadas por médicos cubanos. As demais são relativas a reposições periódicas de profissionais que saíram do programa.

Substituir médicos cubanos por brasileiros é prioridade do governo federal, que busca a meta de 4 mil substituições em três anos. O objetivo é reduzir o atual número de profissionais estrangeiros, que hoje é de 11,4 mil, para 7,4 mil.

A expectativa é que mais de 40% total dos médicos do programa sejam brasileiros, o que representa 7,8 mil.

Este mês estão sendo repostos mais de 1,3 mil médicos cooperados por outros profissionais cubanos. Médicos que deixam o País completaram este ano o período de atuação de três anos.

Vagas desocupadas por médicos brasileiros e de outras nacionalidades são preenchidas por meio de editais de reposição periódicos. No caso dos médicos cubanos, a reposição dos profissionais é operacionalizada diretamente pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Governo Federal