Diário MS
Get Adobe Flash player

“Inevitavelmente será o melhor do mundo”, diz Tite após a ida de Neymar ao PSG

Marcio Dolzan

Rio, 10 (AE)

Exame

Atacante brasileiro NEYMAR, agora jogador do Paris Saint-Germain

Agora com o status de jogador mais caro da história, o atacante Neymar “inevitavelmente será o melhor do mundo”. A avaliação é do técnico Tite, que convocou nesta quinta-feira o seu principal atacante para os jogos que a seleção brasileira fará contra Equador e Colômbia, respectivamente nos dias 31 de agosto, em Porto Alegre, e 5 de setembro, em Barranquilla, pelas Eliminatórias da Copa de 2018. Apesar da previsão, o treinador manteve seu discurso de sempre e descartou protagonismo do atacante do Paris Saint-Germain na seleção. “Protagonismo é para quem entende futebol como um fato isolado”, comentou.

 

Para Tite, a transferência por valores estratosféricos do Barcelona para o clube francês não terá qualquer influência no desempenho de Neymar daqui para frente. “Em termos de valores, de grana, não (muda) absolutamente nada. Tudo o que ele poderia trazer, essa história dentro do futebol, ele já conseguiu”, disse o técnico.

 

“Ele busca muitos desafios – eu vi a entrevista (de apresentação) -, num novo clube, uma projeção, num plano de carreira. Em relação à seleção brasileira, é só adaptação. Quando há mudança de clube o que tem de diferença é a adaptação ao local. A essência é gostar de jogar futebol”, avaliou Tite.

 

O técnico está convicto de que Neymar chegará a ganhar o prêmio de melhor jogador do mundo, mas não arriscou em qual temporada. “Os últimos três atletas que têm mantido (a condição de candidatos), que estão brigando por esse prêmio, são Cristiano (Ronaldo), Messi e Neymar. Cristiano e Messi são gerações diferentes. Inevitavelmente o Neymar vai chegar. O tempo disso eu não sei, mas vai estar ligado muito mais à performance dele e da equipe onde ele trabalhar ou da seleção. Não é por estar perto ou longe de Messi ou Cristiano Ronaldo”, ponderou Tite.

 

Sobre a importância do atacante na seleção, o técnico o vê como um jogador a mais para oferecer protagonismo “de equipe” e não individual. “Protagonismo é para quem entende futebol como um fato isolado, que daqui a pouco quer dar uma mídia ou um fato isolado. Não precisa. O contexto forte, o conjunto forte, vai ressaltar o protagonismo de cada um”, comentou Tite. “A seleção estando forte, vai aparecer um ou outro atleta em determinado momento, para ser o protagonista”.

 

Por fim, Tite também comentou o fato de ter chamado quatro atletas do Paris Saint-Germain – além de Neymar, os zagueiros Marquinhos e Thiago Silva e o lateral-direito Daniel Alves. “Facilita (a montagem da equipe), na medida que repete um padrão, joga sem pensar. O quanto ajuda eu não sei, mas que pode contribuir, sim”.