Diário MS
Get Adobe Flash player

Ilustrações e bordados de Gabriela Miura: criações e espaço artístico em Dourados

PERFIL | Artista plástica e professora de Artes fala sobre o espaço artístico em Dourados

ARQUIVO PESSOAL

: GABRIELA MIURA é apaixonada em fazer ilustrações e bordados, não tenta representar a tristeza ou a alegria: “Isso cabe ao espectador”

Bianca Cardozo

Diário MS

 

Sem a pretensão de representar tristeza ou alegria em seus desenhos, acreditando que a arte comunica-se com quem está disposto a conhecer outras visões de mundo, a artista plástica e professora de Artes Gabriela Antoniassi Miura, de 25 anos, une duas paixões: ilustrar e fazer bordados. Ao Diário MS, falou sobre o espaço artístico em Dourados e afirmou que espera que seu desenho crie personalidade por si só: a história se dá pelo envolvimento com o espectador.

 

Desde menina, Gabriela sempre gostou de desenhar, mas ainda não via a possibilidade da arte como profissão. Só na adolescência, ao descobrir o curso de Artes Visuais, empolgou-se com a ideia. Hoje, atua em duas escolas de Dourados como professora, usando o tempo livre para produzir seus desenhos.

“Hoje minha principal ocupação é como professora, pois foi a maneira que encontrei de ajudar o âmbito artístico e cultural a crescer na cidade. Como ilustradora, nunca tive muito espaço, pois o mercado douradense é bem complicado. A maneira que encontro de divulgar meus desenhos é pelo instagran @bimiura, onde posto fotos das minhas ilustrações e dos meus bordados, que é minha outra paixão”.

A artista comenta que, em sua experiência como professora, percebe como as meninas são orientadas desde crianças a desenhar coisas “fofas e delicadas” e recorda como foi sentir essa barreira em seu desenvolvimento criativo.

“Sempre senti dificuldade em acreditar que sou boa o suficiente para expor minhas criações. Colocar barreiras do que é feminino ou masculino inibe a criatividade e a auto-estima, uma coisa que tento mudar bastante como professora. Acredito que se eu fizer diferença na vida criativa de duas crianças que seja em uma sala de 20 alunos, futuramente a cultura douradense já sairá no lucro”, afirmou.

PERSONAGENS FEMININAS com os olhos em branco para representar todas as mulheres são os principais temas

Na história da arte, a representação surge como visualização da experiência que o indivíduo ou o coletivo tem em sua existência. Todas as formas artísticas, entre elas o desenho, se compartilhadas, tem o poder de assumir o papel de transmitir uma linguagem universal.

Em suas ilustrações e bordados, Gabriela sempre mostra figuras femininas, imaginando que são personagens com sentimentos e características reais e representam todas as mulheres, em sua universalidade, mas, ao mesmo tempo, em sua individualidade. “Sempre deixo o olho em branco, acredito que o olho transparece nossa alma, e elas não têm alma, porque representam eu, você, e todas as mulheres”, revelou.

Gabriela acredita que a arte tem o potencial de poder aproximar, mas o cenário artístico de Dourados é preocupante e revelador, se refletido pelas consequências da ausência de espaços públicos para difusão de artistas locais. Assim, ilustradoras, cantoras, pintoras e escritoras encontram refúgio nas redes sociais para divulgar, de maneira precária, os seus trabalhos.

Além de vender os bordados pela internet e expor as ilustrações, Gabriela também encontra apreciadores — e possíveis futuros artistas — nas suas salas de aula.