Banner São Bento

Hospital de Cirurgias de Dourados não funciona, mas tem listinha de salário para servidores

compartilhe:

Malagueta – 27/11

 

Problemática da Oncologia

Ao distribuir release para os jornais e sites anunciando esforços para trazer para Dourados uma unidade do Hospital do Câncer de Barretos, a prefeita Délia Razuk (PR) mandou um recado para o pessoal da Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems), que assumiu recentemente os serviços de oncologia do município: não está satisfeita com o que está ocorrendo com o setor em Dourados. Caso contrário, não precisaria toda mobilização para atrair a Dourados o fundador do Hospital do Câncer de Barretos e hipotecar apoio irrestrito ao projeto de dotar o município de uma estrutura referência em oncologia. Diante desta constatação fica a pergunta: qual será o destino do Extrato de Contrato número 280/2017, publicado no dia 14 de setembro de 2017, no Diário Oficial do Município de Dourados, edição 4.536, na soma de R$ 17.743.194,30, tendo como partes o município de Dourados e a Cassems para execução de serviços médico-hospitalares e ambulatoriais de média e alta complexidade na área de Oncologia?

 

 

Investimento Perdido

O fato é que com o anúncio da construção de uma unidade do Hospital do Câncer de Barretos em Dourados, todo investimento que a Cassems fizer para atender ao contrato número 280/2017 ficará pelo caminho. Outra questão: como ficará o contrato número 281/2017, no valor de no valor de R$ 3.464.471,70, firmado com o Centro de Tratamento de Câncer de Dourados para atendimento dos pacientes?

 

Resultado Negativo

O fato é que o prazo para estruturação dos serviços de oncologia está chegando ao fim sem que a Cassems consiga oferecer um serviço decente aos pacientes. Nunca é demais lembrar que os R$ 21.207.665,00 da soma dos contratos com a Cassems e com o Centro de Tratamento de Câncer de Dourados são muito superiores aos R$ 10.783.905,09 que se pagavam pelo contrato com o Hospital Evangélico para prestar os mesmos serviços.

 

Contrato Desigual

Significa dizer que o valor médio mensal pago ao Hospital Evangélico de Dourados era de R$ 449.329,75 nos anos de 2015 e 2016, enquanto o valor médio mensal que está sendo pago ao Hospital da Cassems é de R$ 706.922,21, ou seja, média mensal mais de 55% superior ao que era pago ao antigo prestador e onde os pacientes eram atendidos com total infraestrutura hospitalar. Espia só!

 

Agenda do Governador

Foi engraçado o comportamento de um grupo de cerca de 50 servidores nomeados da Prefeitura de Dourados na solenidade que o governo do Estado realizou na última sexta-feira para anunciar, entre outras coisas, o início da licitação das obras do Hospital Regional e o recapeamento das avenidas Marcelino Pires, Weimar Torres, Joaquim Teixeira Alves e Hayel Bon Faker. Só não teve graça nenhuma a presença de tanto DGA em evento público em pleno horário de expediente da prefeitura.

 

Claque Afinada

A claque da prefeitura – que nada mais é que um grupo de espectadores aliciados ou combinados para aplaudir ou vaiar determinado espetáculo ou intérprete – se mostrou muito bem treinada no evento na Associação Comercial e Empresarial de Dourados. Era uma histeria só toda vez que o nome da prefeita Délia Razuk era citado e alguns animadores de palco não tiveram nem o cuidado de disfarçar para que o público não percebesse que eram DGAs em serviço de puro puxa-saquismo.

 

Silêncio da Aced

Foi o tempo em que a Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced) se comportava como legítima representante do comércio e dos comerciantes. Até às 10h de hoje não havia uma única nota no site da entidade ou qualquer manifestação da sua presidente contra a decisão judicial que culminou com o cancelamento do projeto “Dourados Brilha”. Ainda que o fim da decoração natalina tenha sido por ordem da Justiça, a Aced tinha a obrigação de se manifestar em defesa daqueles que pagam as mensalidades que mantêm a entidade em funcionamento.

 

Entidades Caladas

Aliás, faz muito tempo que a Aced não se manifesta sobre qualquer assunto que tenha referência com a Prefeitura de Dourados. O motivo para tal comportamento da entidade que outrora foi porta-voz da sociedade e dos comerciantes pode repousar no fato da sua presidente ocupar cargo de importância no Executivo Municipal. Se a presidente da Aced tem motivos de sobra para ficar calada diante do fim do “Dourados Brilha”, o mesmo não ocorre com a CDL e Sindicom, que também ficaram inertes. Está bem representado esse comércio de Dourados!

 

Entidades Silenciosas

A Aced, CDL e Sindicom podem até recorrer ao velho clichê que decisão judicial não se contesta, se cumpre! Mas as entidades também poderiam se manifestar no sentido de cobrar responsabilidade do poder público municipal de não ter feito como na gestão anterior, quando a primeira-dama Cecília Zauith passava seis meses correndo atrás de patrocinadores para realizar o Dourados Brilha sem uso de dinheiro público.

 

Aliada Maruniana

Depois de perder a boquinha de ministro do governo Michel Temer, o deputado federal Carlos Marun (PMDB) caiu de paraquedas sobre Dourados e tratou de firmar uma importante aliança com a prefeita Délia Razuk (PR). O encontro ganhou release oficial da Prefeitura de Dourados com direito a foto do deputado com a prefeita, ilustrado com uma manchete pra lá de mentirosa: Deputado Marun é quem mais destinou recursos para Dourados.

 

Mentira Estratégica

O release mentiros afirma que Marun é o parlamentar que mais destinou recursos ao município de Dourados, com R$ 1,3 milhão para a drenagem e de águas pluviais, asfalto e sinalização do bairro Estrela Verá e outros R$ 780 mil para drenagem, pavimentação e sinalização do Jardim Caimã. O release é desmentido pela própria assessoria de comunicação no parágrafo seguinte.

 

Cabulando Matemática

Na ânsia de agradar a chefe, o missivista que escreveu o texto revelou ser razoável em língua portuguesa, mas demonstrou que andou cabulando as aulas de matemática. O chapa branca informa que o deputado Geraldo Resende (PSDB) foi o segundo que mais garantiu emendas para Dourados, com R$ 1,7 milhão para drenagem, pavimentação e sinalização, R$ 423 mil para reforma da unidade de saúde do Jardim Ouro Verde e mais R$ 340 mil para compra de equipamentos para Clinica da Mulher.

 

Conta não Bate

Somando os números revelados pelo release da prefeitura, o total de recursos garantidos por Geraldo Resende ficou em R$ 2,473 milhões, valor superior aos R$ 2,08 milhões atribuídos ao deputado Carlos Marun. O material informa ainda que o deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM) garantiu emenda de R$ 1,1 milhão, o deputado Elizeu Dionísio (PSDB) destinou emenda de R$ 1 milhão, mesmo valor garantido pelo senador Pedro Chaves (PSC) e a senadora Simone Tebet (PMDB) destinou R$ 600 mil para Dourados. Espia só!

 

Ardidas

  • Tão logo terminou a solenidade em que o governador Reinaldo Azambuja assinou as ordens de serviço para o recapeamento das avenidas Marcelino Pires, Weimar Torres, Joaquim Teixeira Alves e Hayel Bon Faker, a prefeitura Délia Razuk pegou um grupo de vereadores da sua bancada e correu para gravar um vídeo no qual homens já trabalhavam nas obras do governo do Estado. Enquanto a prefeita falava era notável o constrangimento de alguns vereadores, sobretudo daqueles que sabiam que a prefeitura não colocou um único centavo na obra. Espia só!

 

  • Alguém precisa explicar qual a utilidade do Hospital Regional de Cirurgias de Dourados, instalado pelo governo do Estado no prédio onde funcionava o Hospital São Luiz. A unidade está servindo apenas como balcão de empregos para alguns servidores nomeados pelo Estado e, pasmem, com salários elevados mesmo sem dar um único dia de trabalho a favor do contribuinte. Esse pessoal ainda vai receber 13º salários em dezembro e, mais absurdo ainda, vai poder desfrutar de férias no período aquisitivo mesmo com o hospital fechado desde sua inauguração.

 

  • Ausente por questões de agenda da solenidade que anunciou o início da licitação das obras do Hospital Regional de Dourados, o médico e deputado estadual George Takimoto (PDT), deve ter ficado feliz com o ato realizado sexta-feira em Dourados. Dr. George Takimoto foi o precursor da proposta de dotar Dourados de um hospital de referência para toda região, ideia que acabou adotada por outros parlamentares como o então deputado federal Marçal Filho, hoje vereador pelo PSDB, e o deputado federal Geraldo Resende (PSDB), que tem garantido emendas em Brasília e junto à bancada federal para tornar esse sonho real.

 

  • Consolidado como o maior mentiroso que o Brasil já conheceu, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acaba de encontrar uma nova tese de defesa na dezena de processos que responde por corrupção. A estratégia agora é alegar que as delações da Operação Lava Jato só são aceitas quando contêm mentiras contra a família do petista. A nota é uma reação ao jornal Folha de S. Paulo, que veiculou reportagem em que revela que os procuradores da Lava Jato em Curitiba exigem que a Andrade Gutierrez delate Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho do ex-presidente. De acordo com a reportagem do jornal, os procuradores da força-tarefa querem que as delações da empresa incluam a empresa Gamecorp, da qual Lulinha é um dos sócios. A intenção é saber porque a Oi, uma das empresas controladas pela Andrade Gutierrez, investiu R$ 82 milhões na Gamecorp. Vai vendo!
CORPAL
Jeep
Luau Indaiá-SAFETY

WHATSAPP DIÁRIO

Logo whatsapp Diario MS