Diário MS

Horticultura orgânica é tema de reunião em Ivinhema

AGRICULTURA| projeto prevê que agricultores participem do processo de pesquisa e transferência de tecnologias

 

Claudio Capeche

A primeira reunião acontece na quinta-feira (20), às 9hs, na Secretaria Municipal de Agricultura de Ivinhema

Reunião em Ivinhema marca o início das atividades do projeto “Horticultura Agroecológica – da terra à mesa do consumidor no Estado de Mato Grosso do Sul (ProHorta)”. O ProHorta, coordenado pela Embrapa Agropecuária Oeste, dentro de uma integração interinstitucional, pretende gerar soluções tecnológicas para a consolidação da produção agroecológica de hortaliças nas condições de Mato Grosso do Sul.

A primeira reunião de integração interinstitucional acontece na quinta-feira, 20 de abril, às 9hs, em Ivinhema, na Secretaria Municipal de Agricultura. A segunda reunião será realizada em Dourados, na quinta-feira, 27 de abril, às 9hs, na Secretaria Municipal. “Esses encontros iniciais servirão para apresentar o projeto, fortalecer as parcerias (promover a aproximação entre os representantes das diferentes instituições) e identificar os produtores colaboradores para a instalação das Unidades de Referência (UR) do projeto”, explica o coordenador do projeto e pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Ivo de Sá Motta.

A estratégia de ação deste projeto prevê a pesquisa participativa, em que os agricultores possam ter uma participação ativa no processo e transferência de tecnologias. Para tanto, em cada comunidade trabalhada, será identificado e convidado um produtor experimentador (colaborador).

Ele explica que os produtores colaboradores que sediarão as Unidades de Referência (inicialmente uma em Dourados e outra em Ivinhema) serão os produtores multiplicadores das tecnologias. “Esses produtores, além do cuidado dedicado com as suas hortas no dia-a-dia da propriedade, precisam ser receptivos às novas tecnologias e a receber outros produtores em suas propriedades para demonstrar e explicar o que as novas tecnologias trouxeram de impactos e benefícios para suas produções”, explica Ivo.

Outro ponto importante, destacado por Ivo, é a participação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e das Associações/Cooperativas de agricultores, que desempenha um papel fundamental no avanço do projeto, por meio da participação dos Comitês Pró-Hortifruti. O projeto ProHorta foi aprovado no Portifólio Sistemas de Base Ecológica, junto ao Macroprograma 6 da Embrapa que contempla o público da agricultura familiar.

“Os Comitês Pró-Hortifruti terão sua área de atuação nos municípios e serão constituídos por representantes das instituições: Agraer, Sepaf, Secretaria Municipal de Agricultura, Instituições de Ensino (UFGD, UEMS, IFMS e/ou Escolas Agrícolas) e Associações de Agricultores (APOMS e Associações/Cooperativas Locais de Agricultura Familiar), Embrapa Agropecuária Oeste e Embrapa Hortaliças, Sebrae e Senar.