Diário MS

FCO oferece R$ 10 milhões para capital de giro; prazo de contratação até 31 de janeiro

Nolli Correa (Semade)

O Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (CEIF/FCO) aprovou critérios para aplicação de recursos do FCO para capital de giro dissociado. Entre as medidas publicadas no Diário Oficial de segunda-feira (23) estão a destinação de R$ 10 milhões para amparar gastos gerais de administração de negócio para micro, pequenas e pequeno-média empresas. Prazo de contratação segue até o dia 31 de janeiro.

 

A destinação de recursos para essa modalidade de financiamento é uma das medidas importantes que beneficiam o setor empresarial de Mato Grosso do Sul, defendidas pelo governador Reinaldo Azambuja.

Com a nova regra, o financiamento do FCO admite capital de giro dissociado, o que inclui despesas gerais relativas à administração do negócio (com água, energia, telefone, folha de pagamento, aluguel, aquisição de insumos e matéria-prima, pagamento de tributos, dentre outros vinculados ao negócio), exceto a amortização e/ou liquidação de empréstimo e/ou financiamento no Sistema Financeiro Nacional.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), Jaime Verruck, a medida representa um fôlego para as empresas que podem utilizar os recursos com mais flexibilidade.

“Nós justificamos a necessidade de maior abrangência e flexibilidade nos contratos de capital de giro, aprovamos no âmbito do Condel, conseguimos fazer com que ela já fosse válida para os contratos a serem firmados até o fim de 2016 e incluída, automaticamente nas diretrizes para 2017. O governo ouviu as solicitações do setor e viabilizamos esse crédito que vai auxiliar muita gente nesse momento de retomada do crescimento econômico”, declarou Verruck.

Conforme o Diário Oficial, a deliberação está em vigor, com efeitos válidos desde o dia 2 de janeiro de 2017. Assina o documento o Presidente do CEIF/FCO, em exercício e Secretário de Estado de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf), Fernando Mendes Lamas.