Diário MS
Get Adobe Flash player

Educação de Caarapó quer reduzir analfabetismo entre jovens e adultos

EDUCAÇÃO| estratégia é fortalecer o Programa Brasil Alfabetizado, que está com as matrículas abertas

Divulgação

Alfabetizandos adultos de Caarapó: ler o mundo com os olhos do saber, educação em todas as idades

A gestão da Secretaria Municipal de Educação de Caarapó, por determinação do prefeito Mário Valério (PR), busca reduzir a taxa de analfabetismo entre jovens e adultos com idade a partir de 15 anos. A estratégia é atrair essa camada da sociedade para o Programa Brasil Alfabetizado, cujo Termo de Adesão foi formalizado com a Secretaria de Estado de Educação em fevereiro deste ano, com apoio financeiro do Governo Federal.

Conforme a secretária de Educação do município, o Brasil Alfabetizado vai atender alunos da sede do município, distritos e aldeia indígena. “Convidamos todas as pessoas que não tiveram oportunidade de estudar quando jovens para nos procurar e se cadastrar no programa. Os interessados devem procurar a Secretaria Municipal de Educação e Esportes ou as escolas municipais Professor Moacir Franco e Rui Barbosa para se informar”, disse Ieda Marran. 

 

Programa Brasil Alfabetizado

 

O MEC realiza, desde 2003, o Programa Brasil Alfabetizado (PBA), voltado para a alfabetização de jovens, adultos e idosos. O programa é uma porta de acesso à cidadania e o despertar do interesse pela elevação da escolaridade.

O Brasil Alfabetizado é desenvolvido em todo o território nacional, com o atendimento prioritário a municípios que apresentam alta taxa de analfabetismo, sendo que 90% destes localizam-se na região Nordeste. Esses municípios recebem apoio técnico na implementação das ações do programa, visando garantir a continuidade dos estudos aos alfabetizandos. Podem aderir ao programa por meio das resoluções específicas publicadas no Diário Oficial da União, estados, municípios e o Distrito Federal.

O objetivo é promover a superação do analfabetismo entre jovens com 15 anos ou mais, adultos e idosos, e contribuir para a universalização do ensino fundamental no Brasil. Sua concepção reconhece a educação como direito humano e a oferta pública da alfabetização como porta de entrada para a educação e a escolarização das pessoas ao longo de toda a vida.

As ações se concentram no âmbito do apoio técnico e financeiro a projetos de alfabetização de jovens, adultos e idosos apresentados pelos estados, municípios e Distrito Federal.