Diário MS
Get Adobe Flash player

Com gol irregular, Ferroviária vence o Corinthians e respira no Paulistão

PAULISTÃO | Com a vitória, time ganha fôlego na luta contra o rebaixamento, mas continua entre os piores

THIAGO CALIL/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Lateral FAGNER em ação pelo Corinthians contra a Ferroviária, ontem, em Araraquara

Gonçalo Junior / AE

 

Já classificado à próxima fase do Campeonato Paulista, o Corinthians perdeu a chance de mostrar força para as fases finais do torneio, neste domingo, em Araraquara. Com uma atuação fraca tecnicamente, principalmente no primeiro tempo, a equipe perdeu para a Ferroviária por 1 a 0 no estádio da Fonte Luminosa. Reservas como Guilherme, Moisés, Camacho e Marlone tiveram atuações regulares e não conseguiram fazer o time jogar bem.

 

O gol do time da casa foi irregular. Após cobrança de pênalti na trave, o meia Alan Mineiro dominou a bola com o braço antes de concluir e definir o placar. Os jogadores do Corinthians reclamaram muito do lance, mas o árbitro Raphael Claus confirmou o gol. Com a vitória, a Ferroviária ganha fôlego na luta contra o rebaixamento, mas continua entre os piores do torneio. Foi apenas a segunda vitória do time do interior, que soma apenas oito pontos – a outra foi contra o Santos, na Vila Belmiro.

Beneficiado pelo empate entre Ituano e São Paulo por 1 a 1, no sábado, o Corinthians iniciou a partida pensando já na próxima fase. No início do jogo, o técnico Fabio Carille prometeu atacar e buscar a vitória, pois pensava na liderança da classificação geral, o que dá vantagem de decidir as próximas fases em casa até a final. Os jogadores do Corinthians entenderam a mensagem e encaixotaram o time de Araraquara no início do jogo.

As melhores chances surgiram sempre pelo lado direito, com atuação inspirada de Fagner do meio para a frente. Aos 19, Jô finalizou a jogada de linha de fundo e cabeceou no canto. Leandro Amaro salvou em cima da linha. Três minutos depois, Jadson finalizou mal depois de outro cruzamento da direita. A equipe conseguia evoluir bem, sempre com passes precisos, mas finalizava pouco. Um dos problemas principais foi a falta de movimentação. Jô “lutava” contra dois zagueiros, e nenhum dos meias se aproximava para construir as jogadas. Com isso, o goleiro Tadeu teve pouco trabalho no primeiro tempo.

Defensivamente, a equipe teve problemas. Gabriel recebeu cartão amarelo, mas poderia ter sido expulso por volta dos 20 minutos, depois de uma entrada feia em Renato Xavier. As jogadas aéreas representavam perigo com o atacante Tiago Marques. Aos 31, ele conseguiu boa jogada pelo chão, quando chutou de fora de área e a bola passou raspando.

No início do segundo tempo, a defesa falhou na saída de bola. Gabriel perdeu a bola, Jonathan tocou para Alan Mineiro, que foi derrubado por Fagner. Na cobrança, o lance mais polêmico da partida. Alan Mineiro cobrou na trave e a bola voltou para ele mesmo, após leve desvio nas mãos de Cássio. O jogador da Ferroviária dominou com o braço e abriu o placar. Os jogadores do Corinthians reclamaram muito da marcação da arbitragem.

A derrota parcial fez o Corinthians avançar e mudou o panorama da partida. Dois minutos depois, após cobrança de escanteio, Guilherme encheu o pé na pequena área e Tadeu fez uma bela defesa para evitar o empate.

As chances foram se somando por causa da nova disposição tática do Corinthians. O técnico Fabio Carille sacou Guilherme, que teve atuação apagada, e colocou Rodriguinho. Em seguida, trocou o volante Gabriel pelo meia Pedrinho, uma das revelações da time campeão da Copa São Paulo de Juniores.

 

O time ficou mais leve, dinâmico e ofensivo. Trocou a troca lateral de passes pela objetividade nas finalizações, mas faltou precisão. A equipe dedicou os últimos cinco minutos de jogo apenas a cruzar bolas na área da intermediária. Todas foram afastadas pela zaga da Ferroviária.