Diário MS
Get Adobe Flash player

Aniversário do Sítio do Picapau Amarelo é tema de Contação do Sesc Dourados

REPRODUÇÃO

Turma do SÍTIO DO PICAPAU AMARELO em ilustração de Manoel Victor Filho (1927-1995) para as primeiras edições da série de livros de Monteiro Lobato

Nesta quarta-feira (19), o Sesc Dourados terá contação da histórias “Aniversário do Sítio do Picapau Amarelo”, de Monteiro Lobato. A atividade é aberta ao público e começa às 19 horas.

A criançada irá comemorar o aniversário do sítio mais famoso do Brasil, na Biblioteca do Sesc Dourados, cantando os parabéns para turma do sítio, junto com os fantoches da Tia Nastácia, Dona Benta, Narizinho, Emília, Pedrinho e Rábico. Também vai assistir o episódio “A Dieta do Rabicó” e colorir desenhos.

O Sítio do Picapau Amarelo é uma série de 23 livros de fantasia, escrita pelo autor brasileiro Monteiro Lobato entre 1920 e 1947. A obra tem atravessado gerações e geralmente representa a literatura infantil do Brasil. O conceito foi introduzido de um livro anterior de Lobato, A Menina do Narizinho Arrebitado (1920), a história sendo mais tarde republicada como o primeiro capítulo de Reinações de Narizinho (1931), que é o livro que serve de propulsor à série de Sítio do Picapau Amarelo. Precedentemente, Lobato já havia publicado os volumes O Saci (Paulista1921), Fábulas (1922), As aventuras de Hans Staden (1927) e Peter Pan (1930).

O cenário principal é um sítio, batizado com o nome de Picapau Amarelo, de onde vem o título da série, onde mora Dona Benta, uma velha de mais de sessenta anos que vive em companhia de sua neta Lúcia, ou Narizinho como todos dizem e a empregada Tia Nastácia. Narizinho tem como amiga inseparável uma boneca de pano velho chamada Emília, feita por Tia Nastácia. Durante as férias escolares, Pedrinho, primo de Narizinho, passa uma temporada de aventuras no Sítio. Juntos, eles desfrutam de aventuras explorando fantasia, descoberta e aprendizagem. Em várias ocasiões eles deixam o sítio para explorar outros mundos, como a Terra do Nunca, a mitológica da Grécia Antiga, um mundo subaquático conhecido como Reino das Águas Claras, e o espaço exterior

 

ADAPTAÇÕES

A série de livros que encanta diversas gerações de leitores já teve várias adaptações para cinema, teatro e televisão.

A primeira adaptação foi o filme “O Saci” (1951), dirigido por Rodolfo Nanni. Em 1952, estreou uma série televisiva criada por Júlio Gouveia e Tatiana Belinky na extinta TV Tupi. Em 1964, a atriz e diretora Lúcia Lambertini (que interpretava a Emília) levou a série para a TV Cultura de São Paulo, sendo cancelada após seis meses. Em 1967, a Rede Bandeirantes convidou Júlio Gouveia e Tatiana Belinky para criarem uma nova série, que ficou três anos no ar. Um segundo filme, “O Picapau Amarelo”, foi lançado em 1973, dirigido por Geraldo Sarno.

A Rede Globo já produziu três séries; a primeira em 1977, em conjunto com a TV Educativa, que teve um imenso sucesso e ficou no ar por dez anos. A segunda versão ficou no ar de 2001 a 2007, e a terceira, uma série de animação foi lançado em 2012, produzida pela Globo e Mixer, sendo atualmente exibida pela própria Globo e pelo Cartoon Network.

 

SERVIÇO

O Sesc Dourados está localizado na Rua Toshinobu Katayama, 178 – Centro. Mais informações podem ser obtidas no telefone (67) 3410-0700.